terça-feira, 19 de maio de 2015

Tio Bruda, o dedo duro e o governador "ventana"

- Alô, tio Bruda!

- Oi, tio Canga, maravilha o senhor me ligando! Sempre sou eu que gasto os pilas, lhe chamando no telefone!

- Não te faz de salame, tio Bruda! Se achando importante agora, só porque é amigo do "dedo duro", lá do Uruguai?

- Tá me estranhando, tio Canga? Que "dedo duro" é esse?

- Brincadeira tio Bruda. Acontece que depois que o seu compadre Mujica denunciou em seu livro que o Lula tinha lhe confessado que sabia do "mensalão", surgiu a piada da nova dupla sertaneja internacional: "Dedo Duro &  Sem Dedo".

- Ah! Ah! Ah! Ah! essa eu vou contar prô cumpadre Mujica! Diz que o Lula tá esperneando mais que bode embarcado!

- E a nossa política aqui, tio Bruda? agora com o passamento do "gênio político" Luiz Henrique, como é que fica o Raimundo e o PMDB?  

- Pois então, tio Canga! Com esse infortúnio acontecido, o PMDB ficou mais perdido que surdo em bingo! Os partidário do home ficaram tudo órfão, não sabem prá que lado se bandiá! Ficaram entre o espirro e o bocejo, sem a faca e sem o queijo!

- Pois agora, tio Bruda? o vice governador Pinho Moreira já andava reclamando que estava "sem tinta e sem caneta" e ainda morre o dono do partido, o que vai acontecer acontecer agora?

- Já está acontecendo, tio Canga!

- Mas como assim, tio Bruda? Me explica isso!

- Se atente, tio Canga! Por causa da churumela do Pinho Moreira, o governador Raimundo, que é mais pacencioso que gato de bolichero, de birra desistiu da viagem para a Europa, e deu as passagens para o Pinho Moreira. 

- Será que a passagem é só de ida, tio Bruda?

- Tio Canga, quem duvida é loco!  Mas o que se atina é que, por birra, o Raimundo não vai deixar o vice sentar na cadeira do governador. O Raimundo é tão ventana, que largou o Pinho prá europa, mais assanhado que solteirona em festa de casamento! Diz que deu pro Pinho, levar prá Europa, aquela caneta que o senhor lembrou outro dia, tio Canga. A que escreve como caneta e apaga como lápis. Não precisa nem borracha, tio Canga! 

- Mas que análise política, tio Bruda! O senhor é um sábio gaudério!

- Tio Canga, como dizia o Martin Fierro: "el diablo, mas sabe por viejo do que por diablo". Entendeu? E tem mais, tio Canga, o senhor sabe que eu sou muito cumparativo. 

- Putz, agora deste um banho, véio! Deixa de ser exibido, tio Bruda! 

- Tio Canga, vou cumparar essa ventaneada do Raimundo, com uma história que eu presenciei de corpo presente, lá na Confeitaria da Família, que fica do ladinho da prefeitura em Lages.

- Histórias da serra eu gosto muito, tio Bruda. São sempre engraçadas!

- Pois então escute essa. Era o ano 87 ou 88, por aí. Tava o Nereu Góes, um artista lageano e funcionário da prefeitura, mais conhecido que parteira de campanha, tomando uma cervejinha em pleno horário de expediente, quando entra o prefeito de então, Paulo Duarte, meu amigo!

- Bah! Pegou o homem em flagrante!

- Escuta, tio canga, não te mete! O prefeito me cumprimentô, fez um lanche e quando foi pagar a conta, mandou o bolicheiro descontar mais quatro cervejas prô Nereu Góes. Diante do ocorrido, o Nereu que era mais ligeiro que enterro de bixiguento, perguntou pro Paulo Duarte: 

- Com estas quatro cervejas o senhor quer me prestigiar ou quer me demitir?

- Entendeu, tio Canga, a cumparação?

- Oh! Tá bem entendido, tio Bruda! 

- Tú...Tú...Tú...caiu a linha!

Nenhum comentário: