segunda-feira, 8 de junho de 2015

O deboche da Adjori

(...) Mas se o meio político e empresarial sente a profundidade da lacuna deixada pelo senador, o meio jornalí$tico se sente órfão com a perda. Como forma de gratidão ao trabalho desenvolvido por Luiz Henrique em prol dos Jornais do Interior, a Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina (Adjori Brasil) vai dar o nome ao maior prêmio de jornalismo do Estado.
   
Pena de ouro, é? Para quem? (Montagem sobre foto da Adjori) 
   Parece piada, mas não é! É a mais pura verdade!

   O dono da empresa privada Associação dos Jornais do Interior (ADJORI), Miguel Ângelo Gobbi, vem a público anunciar que está mudando o nome do Troféu Pena de Ouro, criado pela sua empresa, para Troféu Luiz Henrique da Silveira.

   Gobbi entra na onda dos peemedebista que tem instruído seus vereadores a apresentar projetos de lei dando o nome do finado senador à ruas, praças e logradouros públicos, utilizando o seu surrado lema "por toda Santa Catarina".

   O que causa estranheza nesta proposta da Adjori é a cara de pau!? Miguel Angelo Gobbi, foi o maior beneficiado financeiramente pelo cofres públicos nos anos de governo de Luiz Henrique da Silveira.

   Com uma rede espalhada pelo interior, segundo Gobbi, 190 jornais, o empresário fez a festa durante o reinado do finado governador LHS. Logo no começo do governo LHS, em 2003, a Adjori passou a fazer parte da "distribuição técnica" da verba de publicidade do governo. Processo criado na época pelo então secretário Derly Massaud. Falavam em "democratização da mídia" que trocados em miúdos, nada mais era que a distribuição seletiva de dinheiro público para propaganda eleitoral.

   Em 2006, a drenagem do nosso dinheiro para a empresa de Gobbi foi tão escandalosa, que acabou entrando como suporte no processo do pedido de cassação do diploma de LHS, reeleito fraudulentamente por abuso do poder econômico, utilização indevida dos meios de comunicação, crime eleitoral e abuso do poder de autoridade.

   A empresa de Gobbi, Adjori, foi a ferramenta principal utilizada por LHS para alvancar a sua reeleição "por toda Santa Catarina". A Adjori fazia escancaradamente a apologia do "grande adaministrador" LHS.

Nos autos do acórdão prolatado no julgamento da Ação de Investigação Judicial Eleitoral nº 2.457, o relator Juiz José Trindade dos Santos, bem asseverou:

“4.1 Dos documentos acostados pela representante, anoto o seguinte: 1) a entrevista concedida pelo então Secretário de Estado de Comunicação, Sr. Derly Massaud de Anunciação, ao Jornal Diário Catarinense, onde o ex-Secretário faz referência, no tocante à propaganda institucional no exercício em curso, ao período em que o Governo poderá manter-se ativo na comunicação paga e à continuidade dessa política agressiva de comunicação, tecendo comentários sobre os gastos com propaganda, inclusive sobre um eventual excesso (fl. 94); 2) no site da ADJORI (www.adjorisc.com.br), especificamente no link "Associados", extrai-se o seguinte texto: "Atualmente a Adjori/SC mantém 143 jornais associados. Com tiragem média de 3.000 exemplares, os jornais ultrapassam a marca de 400.000 exemplares circulando em praticamente todos os 293 municípios de Santa Catarina, inclusive em Florianópolis. Juntos, os jornais associados somam mais de um milhão de leitores no Estado, considerando-se a média de 3 leitores por exemplar" (fi. 101); (...).”

E adiante, prossegue:

“Nessa esteira, traz-se alguns números, extraídos do/disponíveis no site deste Tribunal Regional Eleitoral, a fim de quantificar o eleitorado que poderia vir a ser atingido pelos jornais constantes nos autos, considerando, para tal fim, os seus respectivos "local de circulação”: ANCHIETA, 5.019 eleitores; APIÚNA, 6.644 eleitores; ARMAZÉM, 4.913 eleitores; ASCURRA, 5.495 eleitores; BANDEIRANTE, 2.360 eleitores; BARRA BONITA, 1.792 eleitores; BELMONTE, 2.180 eleitores; BLUMENAU , 202.657 eleitores; BOTUVERA, 3.092 eleitores; BRAÇO DO NORTE, 19.321 eleitores; BRUSQUE, 63.577 eleitores; CAÇADOR, 46.778 eleitores; CALMON, 3.010 eleitores' A , CAMPO ERE, 6.661 eleitores; CANELINHA, 7.014 eleitores; CHAPECÓ, 107.670 eleitores; CONCÓRDIA, 49.991 eleitores; CRICIÚMA, 128.692 eleitores; DESCANSO, 6.474 eleitores; DONA EMMA, 2.353 eleitores; FLORIANÓPOLIS -, , 288.746 eleitores; GRAO-PARA, 5.098 eleitores; GRAVATAL, 7.354 eleitores; GUABIRUBA , , 10.182 eleitores; GUARACIABA, 8.187 eleitores; GUARUJA DO SUL, 3.864 eleitores' -, IBIRAMA, 12.377 eleitores; IPORA DO OESTE, 6.169 eleitores; ITAPIRANGA , , 11.211 eleitores; JOINVILLE, 321.131 eleitores; JOSE BOATEUX, 3.441 eleitores; LEBON REGIS, 8.444 eleitores; LONTRAS, 6.648 eleitores; MACIEIRA, 1.832 eleitores; MAJOR GERCINO, 2.604 eleitores; MATOS COSTA, 2.336 eleitores; NOVA TRENTO, 8.510 eleitores; PALMA SOLA, 5.756 eleitores; PARAíso, 3.197 eleitores; PRESIDENTE GETÚLIO, 9.978 eleitores PRESIDENTENEREU, 2.043 eleitores; PRINCESA, 2.122 eleitores; RIO FORTUNA, 3.755 eleitores; SAL TINHO, 2.725 eleitores; SANTA ROSA DE LIMA 1.699 eleitores; SÃO JOÃO BATISTA, 13.625 eleitores; SÃO JOÃO DO OESTE, , -' -' 4.527 eleitores; SAO JOSE, 129.549 eleitores; SAO JOSE DO CEDRO, 11.198 eleitores; SÃO LUDGERO, 7.321 eleitores; SÃO MARTINHO, 2.718 eleitores; SÃO MIGUEL DO OESTE, 25.060 eleitores; TIJUCAS, 20.764 eleitores; TUBARÃO, 68.306 eleitores; TUNÁPOLlS, 3.612 eleitores; VITOR MEl RELES, 4.282 eleitores.

Não se fará qualquer referência exclusiva ao resultado eleitoral (aos "frutos colhidos", pois despiciendo), nem mesmo ao número de potenciais eleitores existentes nas áreas de abrangência dos respectivos jornais (creio que mais de 1.600.000), nem à tiragem individual e do somatório dos veículos. A potencialidade está nesse conjunto de "resultados", o qual, somado ao modelo de propaganda (encartes em jornais), e à paridade das demais campanhas publicitárias governamentais desse Governo, podem desequilibrar o concurso eletivo. E o art. 23 da Lei Complementar n. 64/1990, sustenta tal construção.” 

Nenhum comentário: