terça-feira, 16 de junho de 2015

O ministro e a candidatura do Gean


   O país às portas da maior crise financeira pós-Plano Real, o governo federal cortando investimentos, arrochando direitos dos trabalhadores, aumentando impostos e anunciando medidas de contenção de despesas. Enquanto isso, o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves (PMDB), ex-deputado federal, candidato derrotado na eleição para governador do Rio Grande do Norte, pega um avião oficial, com o nosso dinheiro, e vem cumprir “agenda” em Florianópolis.   Na verdade, ao fim e ao cabo, o único propósito da “visita” do ministro à Ilha foi participar do lançamento da candidatura de Gean Loureiro (PMDB), a prefeito da capital em 2016, um evento político-partidário - para o qual, aliás, chegou a ser anunciada nas colunas locais a presença do vice-presidente da República, que, naturalmente, não tomou conhecimento do evento.   

   Começa mal a campanha de Gean Loureiro, já com o uso e abuso dos bens e serviços públicos, coisa proibida por lei.

   Na bagagem, nenhum anúncio de liberação de verbas, nenhum lançamento de projeto, nenhum apoio ao incremento da atividade que é uma das principais fontes de renda do Estado e da sua Capital. Apenas o discurso vazio de quem está no comando da importante pasta por conveniência política – sua nomeação foi exigência do presidente da Câmara, Eduardo Cunha -, sem qualquer familiaridade com o setor turístico.

   Na falsa agenda do ministro uma visita ao Centro de Eventos de Canasvieiras, obra que se arrasta há mais de 5 anos, e que não tem um centavo de verba federal. Tudo perfumaria.

   Da boca do ministro, a imprensa resaltou apenas o seu embasbacamento com a frase: 

- Onde estão as marinas desta Ilha???!!!!

   A pergunta teria sido feita sob encomenda dos companheiros de viagem, Vinícius Lumertz (PMDB), presidente da Embratur e Eduardo Pinho Moreira (PMDB), vice governador, justamente quando o helicóptero sobrevoava a manjada Ponta do Coral, na Beira Mar Norte.
 
   Nossa imprensa, sempre engajada e amestrada, não contextualiza, não questiona, apenas festeja. 

   Uma lástima.

Comentário:
O ministro não disse uma palavra sobre tratamento de esgotos, sobre infra estrutura aeroportuária, sobre verbas para melhorias nas praias...
Quase pediu apoio ao Hotel da Ponta do Coral.
Ah, esse ministro vai indicar o presidente da EMBRATUR para vice-prefeito na chapa do Gean Bico Rouco?

att, Félix Ribas


Fantasia
Esse é mais um ementário da falsa ideia que temos representantes nos ministérios com competência técnica e capacidade política. O nosso "bonitinho da Ilha da Magia" - Vinicius Lummertz se apegou tanto ao poder que parece uma craca de pedra, as baratas da praia andam rondando uma candidatura do "pato rouco" - aquele que liberou geral a construção quando presidente da Nossa Sra de FATMA.
Uma sofrível disposição para se locupletar na carreira de "político profissional". Esse tem sido o enredo na Ilha da Fantasia e na Terra Brasilis.

Fernando Ormuz

Nojo
E assim vamos, de enganação em enganação à uma campanha; uma eleição, e depois de eleito a máscara cai e o "povinho" é quem paga a continha novamente, como na reeleição da "PRESIDENTA".
Que nojo!
Claro Muniz

3 comentários:

Anônimo disse...

O ministro não disse uma palavra sobre tratamento de esgotos, sobre infra estrutura aeroportuária, sobre verbas para melhorias nas praias...
Quase pediu apoio ao Hotel da Ponta do Coral.
Ah, esse ministro vai indicar o presidente da EMBRATUR para vice-prefeito na chapa do Gean Bico Rouco?

att, Félix Ribas

Anônimo disse...

E assim vamos, de enganação em enganação à uma campanha; uma eleição, e depois de eleito a máscara cai e o "povinho" é quem paga a continha novamente, como na reeleição da "PRESIDENTA".
Que nojo!

Anônimo disse...

Esse é mais um ementário da falsa ideia que temos representantes nos ministérios com competência técnica e capacidade política. O nosso "bonitinho da Ilha da Magia" - Vinicius Lummertz se apegou tanto ao poder que parece uma craca de pedra, as baratas da praia andam rondando uma candidatura do "pato rouco" - aquele que liberou geral a construção quando presidente da Nossa Sra de FATMA.
Uma sofrível disposição para se locupletar na carreira de "político profissional". Esse tem sido o enredo na Ilha da Fantasia e na Terra Brasilis.