segunda-feira, 22 de junho de 2015

Senhores e Senhoras

Por Armando José d’Acampora *

Muito me assusta os comentários sobre o nosso Hospital Universitário , um Hospital de ponta, nas redes sociais. Estão julgando todos os médicos no mesmo patamar. E este patamar é o mais baixo de todos. Isto não é justo.
Tanto é assim que dos 275 médicos que trabalham no HU, 27, ou seja, 10 % estão listados pelas autoridades competentes. Mas, ainda assim, não são réus. Estão sendo investigados e isto não dá o direito a ninguém de considera-los culpados quando e ainda não foram devidamente julgados e condenados.
Não tenho a ilusão de que todos os médicos sejam santos, mas creio que a maioria cumpra suas funções com dedicação e esmero.
Penso que em todas as profissões há aqueles que não são o trigo, são o joio. O problema que se apresenta, é separar o joio do trigo.
Se há alguns que não cumprem o que foi determinado por contrato, que sejam devidamente punidos. Mas e os que cumprem? Por que tem que carregar consigo a pecha de transgressores da Lei e da Ordem instituídas quando assinaram o contrato?
Quando era garoto, meu pai me dizia que Médico, Padre e Polícia, basta um para estragar toda a comunidade.
Ninguém acusa um Médico, acusa a medicina, a máfia de branco, e todos entram no mesmo saco. Não é diferente com os Padres, pois quando um comete um deslize, foi a Igreja quem cometeu. A mesma coisa com o policial, não foi o Miguel Cervantes, foi a Polícia quem praticou a atrocidade. Não importa a vida toda cheia de feitos heroicos, basta um deslize para que o sujeito seja considerado marginal. Os chineses já diziam algo parecido.
Será que as pessoas já pararam para pensar que o Médico é o único profissional que acompanha uma pessoa do antes de nascer até a morte?
Quem fará o pré natal de uma gestação e quem assinará o atestado de óbito de uma pessoa? Só pode ser o Médico. Quando temos uma dor, a quem procuramos? O Médico. Não importa se é madrugada, se está frio ou quente o tempo, pois sempre achamos um Pronto Socorro que nos atenda, isto se não tivermos um médico particular no qual confiamos e que nos oriente, disponível dia e noite.
Desconheço médico que trabalhe menos de 14 horas por dia.
Como ficará o transplante hepático se os médicos responsáveis por ele, não tiverem um regime especial de trabalho, haja vista que aqueles que são considerados doadores, não tem hora e muito menos lugar para que isso aconteça?
E o que acontecerá com as apendicites, colecistites, úlceras perfuradas ou sangrantes, perfurações de intestino, traumas de maneira geral, se não houver um profissional treinado por, pelo menos cinco anos, para atender estas urgências?
E alguém conhece o ciclo Circadiano e como isso funciona?
Pois é, na doença, isso é o que funciona. Há doenças que só se manifestam a noite, e outras que não tem preferência de horário.
Portanto, senhoras e senhores, jamais deixaremos de depender de alguém que conheça as doenças, os doentes e suas mazelas.
Por mais que queiramos ser independentes de tudo e de todos, sempre precisaremos de um médico por perto. Queiramos ou não, temos que aceitar isto.

 * Médico, Cirurgião, Professor Universitário.

3 comentários:

Léo disse...

Sim, médicos trabalham, MUITO.
Mas os concursados NÃO CUMPREM A JORNADA! Podem verificar em seus consultórios que atendem o DIA TODO! Como conseguem trabalhar onde passaram no concurso???

Rafael disse...

Com todo respeito ao articulista e ao corporativismo inato dessa profissão, eu não gosto de médicos (em geral). Mesmo com plano de saúde, atendido em consultórios particulares, noto na maioria deles uma falta de cuidado e até de respeito com o paciente. Eles têm muita pre$$a, mal olham nos seus olhos e já vão logo preenchendo pedidos de exames antes mesmo de concluir a avaliação clínica. Afinal, a roda da indú$tria da medicina tem que girar... Ninguém é ingênuo, doutor, sabemos como as coisas funcionam. Por isso mesmo é uma alegria quando encontro um médico humano, competente e respeitoso.
Quanto a esse ESCÂNDALO no HU, só há um jeito de limpar a barra dos médicos honestos que ali trabalham. Da mesma forma que faz com suspeitos de outros CRIMES, a polícia tem que divulgar os NOMES DOS SUSPEITOS, especialmente daqueles com 0% de frequência no trabalho público, para que a população saiba com que tipo de gente está lidando. Estou no aguardo dessa lista. Sem corporativismo. O que esses 10% dos médicos do HU fazem é REVOLTANTE!

Léo disse...

10% denunciados... Pufff...
10% devem ser os que CUMPREM as obrigações....