terça-feira, 11 de agosto de 2015

Dison. o amigo premiado


 




 Canga: em primeira mão para teu blog, o poema que dediquei a tua conterrânea, Lila Ripoll.
Um abraço,
Márcio Dison

MEUS   OLHOS   EM   LILA

Na ponta da língua, diante dos olhos
Aos poucos e à míngua, aos amigos e alheios:
Sem o feroz não haveria receios
O limite do veloz são os freios.

Escapa entre os dedos como o silêncio que grita
Aquela algazarra aflita, o tempero da solidão é o degredo:
Ao obstinado comiseração ou catarse
Uma aposta, o aposto, acrescenta à frase?

Na ponta da língua, a essência exclama como um túmulo.
Diante dos olhos, a sentença do tempo é adjetivo cúmulo
Um poema complexo como a vida que míngua
Sem nada a mudar sua sina ou defini-la,
dar respostas ou sinônimos, só a constante lembrança
a esperança que se perpetua nos versos de Lila.

MÁRCIO DISON
12/08/2015

   O querido amigo, jornalista Márcio Dison, receberá amanhã, em Porto Alegre, o Prêmio Lila Ripoll de Poesia, instituido pela Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. 
   Participando com concorrentes de todo o Brasil, Dison conquistou o primeiro lugar com a poesia “Ode”. Foram escolhidos os três melhores poesias e concedidas 10 menções honrosas.

   Quando soube da premiação, mandei um e-mail cumprimentando o amigo e disse que Lila Ripoll nasceu em Quaraí, minha cidade. Ágil, como só ele, me respondeu com este lindo poema.

Dale Márcio!

Nenhum comentário: