sábado, 15 de agosto de 2015

O revolucionário de plantão...

Matéria especial de William Ear Long* direto de Nova York para o Cangablog.

    Os serviços de inteligência do governo norte-americano interceptaram uma gravação recente entre Raimundo Colombo, governador de Santa Catarina, e um telefone residencial em funcionamento no estado da Florida, no extremo sul dos Estados Unidos.

- Alô, alô... Bom dia, meu caro...

- Helooo Raimundo, como é que tu tá, amigo?

- Acordando agora, onze horas da manhã, sem saber o que fazer. Na Dilma não posso tocar, afinal ela é que me mantém vivo politicamente com esse dinheiro emprestado para o Pacto por SC. Em Santa Catarina não tenho oposição. Embolei o jogo, misturei todos, até o PP já está comigo. Meu líder na Assembléia Legislativa é deles. O radar que comprei aí nos EEUU, para avisar das mudanças climáticas repentinas, não funciona... Também de nada adiantaria, pois o que fazer com as pessoas e seu patrimônio? Os ventos e as chuvas são incontroláveis mesmo... Na propaganda oficial estamos batendo todos os índices... Somos os melhores em tudo. O que tu achas, volto pra Lages para cuidar das vacas? Ainda, são três anos de governo... É muito tempo para ficar aqui na capital...

- Olha meu querido amigo, se tu prestares a atenção vais perceber que o arcabouço jurídico-político-institucional do Brasil está podre, acabado, sem rumo. Ninguém sabe o que faz dentro do Congresso Nacional, não há pauta prevendo o desenvolvimento, o crescimento, o aprimoramento nacional.

- Pois é, quando eu estava por lá, em Brasília, não via à hora de chegar às quintas-feiras para poder voltar pra Lages... Eu acordava, dava uma passada no gabinete e ia pro aeroporto... Era o primeiro a embarcar...

- Viu? Isto é a prova de que aquela cidade não formula nada, não propõe, não articula a vida nacional...

- Bom, vou tomar meu chimarrão e refletir sobre tuas considerações. Um abraço e até qualquer dia destes. Vou tirar uns dias para dar um pulo aí... Quero cumprimentar o Obama pela iniciativa em reatar com Cuba. Esse negão não sai da mídia...
- Risadas do outro lado da linha... kkkkkkkkkkkkk

   Passados alguns dias, Colombo chama o secretário de imprensa e diz: Convoque uma coletiva. Com quem, pergunta o subordinado? Com um jornalista confiável, como sempre fazemos.

Manchetes no dia seguinte:

Colombo declara que o modelo político está podre. Que os funcionários públicos precisam trabalhar oito horas, como qualquer trabalhador. Que a sociedade quer mudanças urgentes. Que ninguém agüenta mais tanta promessa. Que reforma política virou uma palhaçada.

   O publicitário oficial do governador liga e diz: Parabéns Colombo, assim nós vamos levando e criando uma imagem de oposição...

*Jornalista aposentado do New York Times, editor de política internacional, membro da National Academy of Press, free-lancer para jornais estrangeiros e conferencista.





Um comentário:

Anônimo disse...

Kkkk!
Conseguiu retratar em poucas linhas a figura do governador "bonachão", que não tem muito o que fazer "por toda Santa Catarina", pois nas propagandas seu Estado esta uma "maravilha", reconhecida até pela ONU.
É bom esse Canga!