quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Produtora desiste de cobrar calote de Gean Loureiro


    No dia 2 de julho o Cangablog publicou matéria sobre decisão judicial que ordenava o pré-candidato à prefeitura de Florianópolis e atual deputado estadual Gean Loureiro (PMDB) a pagar, em prazo de três dias, uma dívida de R$ 200 mil com a empresa Planeta Político Comunicação e Estratégia Ltda., que fez sua campanha à prefeitura em 2012.

   Na Justiça, a empresa acusava o então candidato e atual parlamentar de ter dado um calote de R$ 200 mil na produção de programas. Em despacho datado do dia 23 de junho, a juíza Cleni Serly Rauen Vieira, da 4ª Vara Cível da comarca da Capital, dá prazo de três dias para que Gean faça o pagamento, sob pena de penhora de bens.

“Caso não efetuado no prazo, proceda-se, de imediato, a penhora de bens, com avaliação, lavrando-se auto e intimando-se o Executado”, registrou a magistrada na ocasião.

   O processo andou, e em despacho publicado no dia 5 de agosto a magistrada registra que a empresa, quem diria, pediu a desistência da ação.

   O que intriga alguns analistas da cena política é: a empresa pediu desistência por quê? A dívida foi paga? Como? Com a palavra, o nobre deputado.


Encaminhado edital/relação para publicação
Relação: 0333/2015
Teor do ato: O exequente requereu a desistência da ação (fl.24 ). Nos termos do art. 267, § 4º, do CPC, a desistência depende da aquiescência do réu quando já decorrido o prazo para resposta. No caso dos autos, o réu sequer chegou a ser citado, circunstância que torna desnecessária sua concordância para o acolhimento do pleito formulado pela demandante. Em face do que foi dito, HOMOLOGO o pedido de desistência formulado e JULGO EXTINTO o processo, sem apreciação do mérito, com fundamento nos arts. 158, parágrafo único e 267, VIII, ambos do Código de Processo Civil. Sem custas. Indevida a remuneração. 
Publique-se. Registre-se. Intime-se. 
Após o trânsito em julgado, arquivem-se.

Matéria publicada no Blog dia 2 de julho.
http://cangarubim.blogspot.com.br/2015/07/justica-fala-grosso-com-gean-loureiro.html

3 comentários:

Anônimo disse...

Como que o TRE aprovou as contas do Gean se ele não pagou esse cara? Alguém consegue me explicar?

Carlos Amancio disse...

Senhor Canga Blog, o interessante é que a contratação da produtora não consta prestação de contas do candidato a prefeitura.. será que ele esqueceu? alô, Ministério Público!!

Anônimo disse...

Me expliquem, onde tá essa empresa na prestação de contas se não pagou? Alou TRE, MP, tem que cassar o mandato desse cara!