domingo, 3 de janeiro de 2016

Soluções nativas

     
   Por Marcos Bayer
   Quem tá se dando bem neste verão, no Campeche, é o Sidnei. Pescador e marido da Rosi, a dona do Quiosque do Badejo, o local que acolhe, entre outros, o pessoal do kite surf aqui na Ilha.
    Ele enche seu bote pela manhã e vai buscar à tarde. Faz o transporte até a maravilhosa Ilha do Campeche. A freguesia tem sido, basicamente, de gringos. E gringos pro Sidnei é qualquer pessoa que não seja do Brasil.
    Então, entre argentinos, europeus e norte-americanos... O Sidnei enche o bolso e a barca.
    Mas, ele tem alguma dificuldade nos idiomas dos gringos...
Então, pra facilitar ele decidiu usar o método dos gregos, adotado pelo Padre Antonio Vieira.

    Ele desenha e escreve na areia da praia: Uma seta aponta pra Ilha do Campeche e marca: 09 horas... E a outra seta aponta de volta pro Quiosque do Badejo e marca: 16 horas.
    E, assim, rindo com a facilidade com que tem se comunicado e com o dinheiro que está ganhando, disse-me a Rosi, a esposa dele:
    - Marcos, o Sidnei já tá até falando inglês neste verão...

Um comentário:

Anônimo disse...


Dez pra ti e pro Sidnei.
Cara prático. De "premera", ele.

abs do Quintão da Zica.