sexta-feira, 25 de março de 2016

A Via Sacra do Tadeu

          Quando pequeno em Quaraí, durante a missa da Sexta-feira Santa, sempre acompanhava minha mãe na Via Sacra. A Via Sacra é o cumprimento de um roteiro que simula a caminhada de Jesus carregando a cruz desde o pretório de Pilatus até o Monte Calvário. Sofrimento puro, como tudo o que se refere à religião católica.
   Já vi várias encenações de Vias Sacras inclusive uma que tinha aqui no Campeche, onde os fiéis católicos faziam um roteiro que, saindo da Capela de São Sebastião, passava pelo bosque ao lado da igrejinha, pelas dunas e acabava na praia. Bem bonita, a Via Sacra!

      Mas voltando a Quaraí, lá eu percorria as 14 estações do suplício do Cristo com um a atenção especial. As estações eram representadas por quadros pintados a óleo, sete em cada lado interno da Catedral. Os quadros eram de cores fortes, o vermelho dos uniformes dos centuriões romanos chamavam a atenção e eram cheios de detalhes. Tudo isso me deixava maravilhado.
   Até que certo dia os quadros desapareceram das paredes da igreja e a Via Sacra acabou. Começava aí uma outra Via Sacra, essa de sofrimentos reais, com torturas e interrogatório. Começava a Via Sacra de Tadeu Medeiros o autor das pinturas que embelezavam as paredes da igreja e serviam de referência para os fiés praticarem as suas crendices.
   Tadeu Medeiros além de artista plástico era fotógrafo do PTB, partido contra o qual se deu o golpe militar de 1964, e, fiquei sabendo mais tarde, militante do Partido Comunista.
Tadeu foi preso, torturado e teve sua obra confiscada. Claro que os quadros da Via Sacra não poderiam ficar na igreja que apoiava a aventura desastrada dos milicos.
   Anos mais tarde fui aluno de desenho e pintura de Tadeu. Encontrei-o ainda em 1976 em Porto Alegre. Convivemos um tempo, o suficiente para conhecer a sua fantástica obra, seus desenhos e seus pensamentos também. 
   Bela figura humana, o Tadeu.

   Achei hoje, na web, uma página sobre o Tadeu Medeiros. Fiquei sabendo que morreu em 1987, em Cuiabá, e que foi parceiro e amigo do Bispo D. Pedro Casaldáliga.
   Na página também tem fotos do seu acervo. Encontrei duas fotos dos quadros que Tadeu pintou para a Via Sacra da Igreja de São Batista em Quaraí.
   
   Saiba mais sobre este personagem. Clique AQUI! 

2 comentários:

Anônimo disse...

Caro Canga,


Temia que elle fosse preso em plena sexta-feira da Paixão.
Caso fosse, certamente diria:

Ao meu lado está Barrabás...


sds ecumênicas do seu leitor,

mbayer

Anônimo disse...

Obrigado por compartilhar.
Não conhecia. Realmente, são obras de grande beleza e profundidade espiritual. Obras de Arte.
No meu ver as obras dele colocam a tristeza como um ponto de parada, como um refúgio onde a mente pode descansar, se reavaliar e se reconstruir.
Nos dias de hoje cultivamos a alegria de forma obsessiva, doentia. Que a Arte nos traga o referencial ponto de parada e suficiente introspecção, para o tão necessário encontro com nós mesmos.
Excelentes obras! Excelente post!
Andre d'Aquino