sábado, 26 de março de 2016

Esquerda, Direita. Volver!

   Por Laercio Duarte    
   
   Dilma é de esquerda, Lula se diz de esquerda, Zé Dirceu e Luciana Genro disputam para ver quem é mais de "esquerda".  Até figuras carimbadas, que há mais de um século comandam a economia, os destinos da pátria, a produção agro-pecuária e a movimentação do mercado financeiro, se definem como de "centro-esquerda", só para citar José Sarney, Paulinho Bornhausen, Eduardo Matarazzo Suplicy, Sérgio Cabral, Beto Richa e Olavo Setúbal, entre outros. Será que Marina Silva também é de esquerda?

    Vamos recorrer ao auxílio dos universitários. Na definição da enciclopédia aberta na Internet, a Wikipédia, "Há um consenso geral de a ESQUERDA inclui progressistas, sociais-liberais, social-democratas, democrático-socialistas, libertários socialistas, comunistas e anarquistas, enquanto a DIREITA inclui fascistas, conservadores, reacionários, neo-conservadores, capitalistas, alguns grupos anarquistas, neo-liberais, econômico-libertários, monarquistas, teocratas islâmicos ou não, nacionalistas e nazistas." 

    Ajudou? Mais ou menos ... nessa definição tão ampla, podemos enquadrar qualquer pessoa como esquerdista ou direitista, tanto faz. Alguém sempre vai ter características dos dois lados. Por exemplo: a Inglaterra tem uma raínha (e futuramente um rei, seu neto ou seu filho), que governa sob a proteção de Deus, representada pela autoridade do clero da Igreja Anglicana, religião oficial do Reino Unido. Isso a faz "de direita", sem dúvida. Porém, na ordem do dia, a raínha não manda nada. O Estado é administrado por um primeiro ministro, escolhido pelo Parlamento eleito pelo povo, que pode ser derrubado a qualquer momento se lhe faltar a confiança do parlamento, e, em contra partida, pode dissolver o parlamento e convocar novas eleições gerais para eleger novos representantes. Nesse sentido se define como social-democrata e seria, portanto, "de esquerda".  Vimos que não é tão fácil enquadrar pessoas e países dentro do conceito da Wikipédia!

    No meu modo de entender, podemos chamar de "esquerdista" a pessoa que está envolvida num processo de mudança social e pessoal, em busca do ideário definido pela revolução francesa em 1789, que pregava a evolução como caminho para alcançar "liberdade, igualdade e fraternidade". Por seu lado, os "direitistas" lutam para conservar o estado atual das coisas. Desse modo, um esquerdista hoje pode vir a ser direitista amanhã, se o estágio social avançar de tal modo que aquilo que a pessoa defendia no passado já não serve ao propósito da evolução. 

    E daí? Marina Silva, por exemplo, é esquerdista ou não?
 
   Leia artigo completo. Beba na fonte.

Um comentário:

Léo disse...

Então, pelas manifestações nas ruas e pelas pesquisas de opinião, o povo é esquerdista e o governo é de direita...