segunda-feira, 11 de julho de 2016

ATOCHA NO CONTRIBUINTE


Por Eduardo Guerini
Contando os gatos pingados no revezamento da passagem da Tocha Olímpica e os gastos públicos para um espetáculo bizarro proporcionado na série de saltos e sobressaltos invertidos nas prioridades municipais catarinenses.
    
   A transmissão da passagem da “Tocha Olímpica” pelas cidades do Brasil, e, especialmente em Santa Catarina proporcionou ao cidadão incauto e desavisado um momento de reflexão.
 

   A chama olímpica que relembra a lenda do roubo do fogo por Prometeu, poderia iluminar os amáveis mortais diante do show de bizarrices que a Olimpíada no Rio -2016 está produzindo num Estado brasileiro em colapso.

   Não se trata de impedir as vaidades individuais e empresariais do evento internacional que demonstrou, tal como a Copa do Mundo de 2014, que as prioridades de nossos governantes tinham um objetivo certeiro no consórcio do roubo e desvio de recursos públicos, dar saltos ornamentais na legislação brasileira para enriquecer burocratas partidários e empresários das grandes empresas de construção.

   Enquanto municípios, em estado de penúria existencial, mal conseguem manter serviços essenciais, desloca-se um séquito de segurança e estruturas para uma fulminante passagem, com audiência máxima de algumas centenas de habitantes, com distribuição de alguns brindes ridículos de patrocinadores que ganharão publicidade na emissora oficial do evento. Na passagem catarinense, a Tocha Olímpica não empolgou muita gente, mas garantiu que escassos recursos fossem dispensados para um revezamento sem nexo.

   Assim, os atletas e convidados a revezar a Tocha Olímpica pelos municípios catarinenses acumpliciados pela situação, produziram indiretamente mais uma bizarrice de nossa Sucupira provinciana, um festejo que direciona parcos recursos públicos, indesejados pela municipalidade, para um momento único da crise fiscal brasileira. Enquanto a Tocha passava, os ministros da área econômica preparam mais um pacote que ATOCHA O CONTRIBUINTE!!

   O sonho olímpico poderá transformar o Brasil num Estado de Calamidade Pública permanente!!!

Um comentário:

Léo disse...

E ainda reclamam da frieza e apatia do povo com a olimPIADA. Ninguém nos perguntou se queríamos, agora não podem nos obrigar a gostar, oras...