sábado, 6 de agosto de 2016

Eleições em Florianópolis

Do amigo Laécio Duarte
 

Floripa e os Conchavos de Sempre 
     O governador Colombo retira seus soldados de campo, reconhecendo que o pedaço tem novo chefe: Dário Berger. De reboque, um acordão com o tucanato poderoso, na figura dos prefeitos do Vale do Itajaí, notadamente Blumenau, que deve reeleger o atual prefeito. Os Soizas, pai e filho, obedientemente reconhecem a autoridade superior e se resignam aos futuros papéis que a oligarquia lhes destinará.
    Não pedem muito, como sempre. Surpreendentemente, o mais talentoso dos filhos da velha oligarquia, Esperidião Amim, fica de fora do conchavo. Torço para que sua mulher, Ângela, pelo menos leve a macarronada para o segundo turno. Eu, de minha parte, estarei curtindo um tango já agendado para Buenos Aires. Boa eleição para todos. Tô certo ou tô errado, professor Cangablog Sergio Rubim ?

Um comentário:

Mané_Estrangeiro disse...

Houve um tempo em que se falava que o falecido senador LHS odiava Florianopolis. Não era de todo mentira, pois isso era importante para facilitar seus votos em sua base eleitoral, Joinville, cujo povo foi ensinado (por ele e por outros) a seguir esse "culto".
Mas jamais esperei isso de Raimundo Colombo um homem cordato, bonachão e que sempro procurou estar "de bem" com todo mundo. Entregar a mais bela Ilha do planeta aos asseclas daquele senador cheio de processos não é uma manobra política. É um ato de desprezo e raiva pela cidade.
Resta agora aos eleitores a árdua tarefa de impedir essa desgraça. Até porque já sabem do que ele é capaz (ou não). E não se esqueçam: Errar é humano. Repetir o erro é burrice.