terça-feira, 13 de setembro de 2016

Polícia Federal afirma que Badeko cometeu crime de lavagem de dinheiro

   do FAROL  
   Além de revelar ocultação de dois imóveis, documento da PF também informa que vereador de Florianópolis, denunciado pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) na Operação Ave de Rapina, tem uma movimentação financeira incompatível com suas receitas declaradas ao Fisco no valor de R$ 502.471,87. O vereador candidato à reeleição Marcos Aurélio Espíndola, o Badeko (PHS), responde pelos crimes de concussão, corrupção passiva, advocacia administrativa e organização criminosa.

   O indiciamento do vereador e da sua irmã, Karolina Machado, é assinado pelo delegado federal Christian Luz Barth no dia 20 de junho deste ano. Badeko é indiciado por crime de lavagem de dinheiro e contra ordem tributária pela ocultação do imóvel na Rua Joaquim Nabuco, 2514, Monte Cristo, em Florianópolis, e pela casa na Costa da Lagoa, Caminho da Costa, 113, em frente ao ponto 15. Karolina Machado também é indiciada pela co-autoria na ocultação do mesmo imóvel da Costa da Lagoa.

Leia matéria completa. Beba na fonte.

Um comentário:

Anônimo disse...

ESTUDEI COM O DELEGADO NO ANTIGO COLÉGIO CORAÇÃO DE JESUS!!! PESSOA DA MAIS ALTA HONESTIDADE!!!
FERRO NELES DELEGADO!!!
CANGA, CADÊ A MATÉRIA SOBRE OS BURACOS NAS RUAS DA CIDADE QUE TE ENVIEI AMIGO?
ABRAÇO!
ALEX PEREIRA PIOVEZAN