terça-feira, 11 de julho de 2017

Conselho de Ética. Ética? (E Fragmentos do Cotidiano Brasileiro)

por Emanuel Medeiros Vieira 

Neste Conselho funesto/Feito por gente caquética,/Só pode ser indigesto/Sinceramente sem ética” (AL) 
  
O assunto passou em branco. No meio de fome de poder e corrupção, há algum tempo foi instalado o Conselho de Ética do Senado.
   O referido Conselho aprecia e julga denúncias por quebra de decoro parlamentar.
   Quem está lá? Romero Jucá (RR) investigado na Lava-Jato, com oito inquéritos no STF.
   Além de Eduardo Braga (AM), Flexa Ribeiro (PA), Eduardo Amorim (SE) e Jader Barbalho (PA), todos investigados no STF.
   Todos no Conselho de Ética. É brincadeira? Não.
É uma espécie de metáfora do Brasil de hoje. Não é preciso escrever mais nada.

IMPEACHMENT
“A Câmara dos Deputados não pode continuar agindo com cinismo, como se nada estivesse acontecendo no país. O presidente da Câmara dos Deputados deve satisfação à população e, por isso, precisa pautar com urgência a análise dos pedidos de impeachment” (do presidente da República).
   São palavras do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cláudio Lamachia.
   Lamachia argumentou ainda que o Brasil não pode continuar pagando a conta das atitudes “pouco republicanas” tomadas pelos ocupantes do poder.
   Para ele, as instituições não podem continuar “sangrando”.
   No fim de maio, a OAB entregou à Câmara pedido de impeachment do  presidente da República.

DEMOCRACIA
   Alguém afirmou que é “assustador” o sentimento de que a democracia está entrando em colapso.
   Com a falência do modelo, muitos buscam  soluções facilitárias, autoritárias e tenebrosas, acreditando em aventureiros ou  figuras de extrema-direita, populistas e violentas.
   A culpa é daqueles que se apegam ao poder, como cachorros agarrando ossos, sem nenhum respeito pelos sentimentos e valores da população anônima – que carrega seu calvário diário.
   Estamos com 14 milhões de desempregados, que sofrem anonimamente, silenciosamente. Não é estatística. São seres humanos.
   É preciso entender que a corrupção é um inimigo poderoso e nefasto, que não tem tendência política  – como alguém afirmou.
   E o terreno que está sendo semeado é o da amargura, do desencanto e do pessimismo.
   Eu sei: essa busca por soluções fáceis e de extrema-direita também ocorrem na Europa e em outros lugares.

ACORDO
   Nos Estados Unidos, há um presidente que parece a Besta do Apocalipse, à direita de Genghis Khan (1162-1227).
   É triste e lamentável ver um acordo promissor (entre EUA e Cuba), ser rasgado por Trump.
      Obama e autoridades cubanas, firmaram um acordo – intermediado pelo Papa Francisco –  que depois de muita luta, gerou  esperança.
Até republicanos, do partido do presidente, criticaram a atitude de Trump.
   Estive em Cuba  há uns dois anos (não com autoridades), e conversei muito com pessoas anônimas ( eu e Célia fizemos amizades, com quem nos correspondemos até hoje).
   E percebi que pessoas anônimas, tão hospitaleiras conosco, torciam imensamente pelo acordo.
   Para terminar com uma nota menos pesada: com um marxista (que, na despedida, disse que não éramos apenas amigos, mas “hermanos”), abraçando-me com muita emoção (não, não estava no poder – era um humanista muito culto),  rezamos  um Pai Nosso, na catedral de Havana, para que o acordo entre  EUA-Cuba desse certo.
(Salvado, junho de 2017)*
ADENDO DE JULHO DE 2017: o texto sobre o Conselho de Ética do Senado, foi escrito antes da decisão  que arquivou a denúncia contra o senador Aécio Neves – que enganou 51 milhões de eleitores e não honrou o caráter do seu avô.
Qualquer pessoa decente renunciaria.
Mas falo de pessoas e de países onde a honra é predominante: falo de valores.
Um conselho menor, deste quilate, que não prima pela verdade, é melhor não existir.
Fazer de conta?  Nós  – brasileiros – estamos cansados de tanta mentira, de tanta dissimulação, de tanta torpeza,de tanta vilania e de tanto escárnio aos valores mais caros da civilização 

Nenhum comentário: