segunda-feira, 24 de junho de 2013

MPF contesta venda casada da CEF em Florianópolis


 A instituição tem vinculado o financiamento da casa própria à contratação de outros produtos
   
   O procurador da República Carlos Augusto de Amorim Dutra enviou ontem uma recomendação ao superintendente regional da Caixa Econômica Federal, Roberto Carlos Ceratto, na qual diz ser ilegal a atitude do banco de realizar venda casada. A caixa tem condicionado o financiamento habitacional à compra de outro produto ou contratação de serviço. O Ministério Público deu prazo de dez dias à instituição para que informe as providências tomadas para adequar-se à legislação federal.

Um comentário:

Carlos disse...

Se o procurador quer encontrar venda casada em banco estatal, que vá investigar o que penam os pequenos produtores rurais que buscam empréstimos do Pronaf. O Banco do Brasil só libera a grana, que não é dele, se o agricultor comprar um seguro ou fizer um ourocap, senão, não tem conversa. É a pouca vergonha institucionalizada na maior instituição de crédito agrícola do país.