quarta-feira, 5 de março de 2014

Com mais uma derrota na Justiça só resta a renúncia ao deputado Romildo Titon

Pego em escutas telefônicas em investigação de desvio de mais de meio milhão de reais, Romildo Titon do PMDB, foi afastado da presidência da Alesc. O seu partido esperneou, cometeu algumas "atrocidades" jurídicas na tentativa de livrar o deputado e hoje, 5 de março, sofreu mais uma derrota  no Tribunal de Justiça. Só resta ao deputado pedir a renúncia do cargo de presidente da Assembléia.

   Com a decisão, esta tarde, do Tribunal de Justiça de SC de rejeitar o pedido de transferência da investigação sobre o envolvimento do presidente da Assembléia Legislativa, Romildo Titon (PMDB), para a esfera federal, só resta ao deputado o pedido de renúncia da Casa Legislativa.
   Flagrado pela polícia em escutas telefônicas quando investigava fraudes em licitações de construção de poços artesianos na chamada Operação Fundo do Poço, Romildo Titon foi afastado da presidencia da Alesc no dia 26 de fevereiro, logo após ter tomado posse.
   A cúpula do PMDB imediatamente se mobilizou em defesa do envolvido na roubalheira desfiando um rosário de elogios e o currículo de político honesto e de sucesso com "muitos serviços prestados a sociedade catarinense", sei...sei...
   Abaixo o senador Luiz Henrique da Silveira atestando a honestidade de Titon e dizendo-se confiante de que a Justiça fará justiça. Bola fora!
    A Justiça fez o seu trabalho: justiça!

Nenhum comentário: