sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Policia Civil procura secretário de segurança


  O boxixo nos meios policiais é enorme. 
   Parece que existe até a suspeita de que o Secretário de Segurança Pública, César Augusto Grubba, teria sido sequestrado.
   A suspeita se deve ao desaparecimento de Grubba nas conflituosas negociações, por melhores salários e condições de trabalho, entre o Governo do Estado e a Polícia Civil de SC.
    As negociações entre a Polícia Civil e o governo foram tocadas pelo secetário da Fazenda Antonio Gavazzoni e Derly Massaud da Administração.
Inédita, na história de Santa Catarina, a ausência do secretário da pasta em uma negociação tão delicada e importante.
   O promotor Grubba, que assumiu a pasta da Segurança em 2011, na cota do senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB). Ficou conhecido nos meios jornalisticos e políticos do estado quando presidiu o inquérito do famoso caso "Marlene Rica", quando a alta cúpula governo do estado foi flagrada em uma casa de tolerância em Joinville, inclusive com suspeita da presença de menores. 

3 comentários:

Anônimo disse...

Vou contar um segredo:foram os próprios Policiais Civis que não quiseram a presença do dito cujo, já que o mesmo não fala pela Polícia Civil, e sim pela segurança pública como um todo, ou seja, quando chega, está rodeado de PM's babando os ovos. E aí, como se negocia? Junto com a PM? De negociação, este governo não entende nada! Só sabe enrolar...

Mané Estrangeiro disse...

É um comportamento habitual de alguns secretários desse governo. Lembro que o ex-secretário Marco Tebaldi, também se escondia atrás da porta quando da greve dos servidores da educação. Deixava tudo para o secretário, que hoje é o titular da pasta.

bonaster disse...

Grubba de secretário de segurança, Caminha aposentado, Blasi é desembargador pelo quinto (dos infernos), LHS senador, e mais os asseclas do LHS tudo bem colocados no meio político. Aquele das bandas de camboriú pegou vencimentos de governador na finaleira do LHS, esse daqui, nada faz e vai levar também. Aí vai o dinheiro do estado!