sábado, 14 de fevereiro de 2015

Hercílio Luz: Está difícil de ver uma luz no fim do túnel

 Grandes obras em Florianópolis sempre acabam na Justiça. Hercílio Luz tem inquérito na 30ª Promotoria e Ministério Público de Contas também investiga desperdício de verba 


   Já virou tradição em Florianópolis. As grandes obras, de tão enroladas que ficam, sempre acabam na Justiça. A Ponte Hercílio Luz é a bola da vez. Com a restauração paralisada há mais de seis meses (e correndo o risco de desabar, como admitiu o então presidente do Deinfra, Paulo Meller, em entrevista a uma emissora de TV), as obras da ponte já tem inquérito na 30ª Promotoria de Justiça da Capital e, agora, o Ministério Público de Contas de SC (MPTC) também vai investigar irregularidades, ausência de fiscalização e desperdício de verba pública em contratos da ponte. 

   A investigação é em cima do consórcio Prosul/Concremat. O MPTC questiona que a Prosul, líder do consórcio, recebeu R$ 4,3 milhões do Estado entre 2012 e 2014 mas não controlou o andamento das obras. Foi um trabalho meia boca. A malha fina do MPTC vai esmiuçar o período que a construtora Espaço Aberto esteve à frente das obras. O contrato inicial, firmado em 2008, previa a conclusão da restauração para junho de 2012. Não foi cumprido. A empresa conseguiu um aditivo (mais dinheiro) e o prazo de entrega ficou para dezembro de 2014. Também não foi cumprido porque o Governo rompeu o contrato com a Espaço Aberto. As obras estão paralisadas há mais de 6 meses.

Leia matéria completa no Bom Dia Floripa.

Um comentário:

Anônimo disse...

Parabéns para a 30ª Promotoria pelo belo trabalho realizado!