quinta-feira, 18 de julho de 2013

O PAPA É BRASILEIRO


   Por Jaison Barreto   

   Parece que os fatos estão confirmando que Deus é brasileiro, provado pela presença do Papa Francisco, Chicão ou Chiquinho, exatamente neste momento grave de “crise existencial” da gente brasileira.   Obrigado, Senhor!!!
   Este admirável Papa argentino, ou este admirável argentino Papa, está a nos dizer e ao mundo, coisas importantes que valem à pena salientar no campo da ética, da moralidade.
   Salvo pensamento distinto, diz que a batina não faz o padre, que Partido não faz o bom político, a toga não faz o bom juiz e assim por diante, etc., etc., etc.
   Os Positivistas já defendiam a Política como “filha da Moral e da Razão”.
   O desafio brasileiro é exatamente reconstruir a dignidade da classe política na sua conduta, na sua postura, no seu comportamento.
   Precisamos regenerá-la.
   Para perplexidade geral, ocorre que de repente o brasileiro viu, percebeu que o PT não é mais o PT, que o PMDB não é mais o PMDB, que o PSDB não é mais o PSDB, PDT não é mais PDT e assim por diante...
   Essa “crise de identidade” possibilita que coisas antagônicas, discordantes, permaneçam no mesmo conjunto.
   Sem fazer juízo de valor que cabe a cada um fazer, e correndo o risco de dar nomes: Sarney, Renan, Luiz Henrique, Pinho Moreira, Paulo Afonso, Jader Barbalho, convivem com Pedro Simon, Jarbas Vasconcelos, Casildo Maldaner e outros...
   Delúbio, Dirceu, Genuíno se mesclam com Paim, Vignatti, Décio Lima.
   Lupi, Manuel Dias convivem com Cristovam Buarque, Pedro Taques, Miro Teixeira.
   Renato Azeredo, Pavan, Yeda Crusius, frequentem o mesmo ambiente político que Aloysio Nunes, Fernando Henrique, Serra, Aécio.
   Maluf com Esperidião Amin, Ana Amélia Lemos, Francisco Dornelles.
   Dar nomes não é tarefa nossa aqui na planície.
   Daí a importância do Ministério Público, da Polícia Federal, dos Tribunais de Contas, da Justiça Eleitoral e da dignidade pessoal de cada brasileiro que quiser se considerar decente.
   Cada um aceite o risco de fazê-lo.
   Saudações Democráticas,
  

Um comentário:

Anônimo disse...

PERDEU PLAYBOY !
Assim como os partidos políticos (que não representam em nada os interesses populares,era sabido - vejam o salário mais de trinta vezes além do vosso), também a Igreja, que sempre foi a mola mestra da sociedade no modelo arcaico, está tentando se associar a imagem da transformação global social.

ACONTECE que as pessoas saíram da jaula, da caverna de Platão, aonde apenas avistavam a própria sombra.
A imagem é autêntica e real, desta vez.

E isto foi possível pelo fenômeno das redes sociais via Internet.

Frankenstein voltou-se contra seu criador.
E, este monstro sem alma...sem crenças ou laços emocionais midiaticos com os melodramas das novelas, sem o choque elétrico-neural das notícias atemorizantes dos jornais que não deram nenhuma esperança de ordem e progresso, revoltou-se.
Mundo afora, num fenômeno global... e muitos outros Edward Snowden serão paridos...
Julian Assange e seus seguidores irão replicar-se tantas vezes quantas possíveis...(MATRIX é real).
Assim, nem a CIA, a Igreja Católica e nem a ABIN ou a Maçonaria (nenhuma forma de controle institucional) irão conseguir controlar o fluxo de informações.
O poder desfacelado, título para esta global-biografia da humanidade.
Como pode alguém ganhar mais de trinta vezes representar os interesses do povo?
ALEA JACTA EST

ass: Bzzzzzzzzz