quarta-feira, 12 de novembro de 2014

PF desmonta quadrilha na Câmara de Vereadores de Florianópolis

João Valle Pereira                           Verador Badeko                  Vereador César Faria
O presidente da Câmara de Vereadores, César Faria (PSD) e o presidente da Fundação Franklin Cascaes, João Augusto Freyesleben Valle Pereira, foram presos pela Polícia Federal nesta manhã. O vereador Marcos Aurélio Espíndola (PSD), o Badeko, está foragido.

   A Operação Ave de Rapina desencadeada nesta manhã de quarta-feira, cumpre 38 mandados de busca, apreensão e prisão de envolvidos em um grande esquema de corrupção 
em Florianópolis, Joaçaba e também em em Porto alegre e outras 3 cidades do interior do Rio Grande do Sul.

   Em Florianópolis, a quadrilha agia na Câmara de Vereadores, Instituto de Planejamento Urbana de Florianópolis (Ipuf) e Fundação Cultural Franklin Cascaes. A operação da PF tem o objetivo de desarticular uma organização criminosa que rouba dinheiro público através de licitações fraudulentas.

   O ex-comandante da Guarda Municipal de Florianópolis, Jean Carlos Viana Cardoso e o ex-diretor de operações do IPUF, Júlio Pereira Machado, também foram enjaulados pela PF. Homens fortes do ex-prefeito Dário Berger e do atual presidente da Cãmara de Vereadores, César Faria, os dois já haviam sido presos pela PFR em setembro, com R$ 100 mil e farta propaganda eleitoral quando se deslocavam de Porto Alegre para Florianópolis.

   A Operação Ave de Rapina da PF, investiga empresas especializadas em radares e lombadas eletrônicas de Porto Alegre (KOPP) que simulavam concorrência em licitações com o apoio de servidores para garantir a elaboração de contratos com o poder público. Em troca, pagavam mensalmente propina aos integrantes da organização criminosa.

   A quadrilha atuava também na área cltural praticando fraude de licitações em eventos culturais. Segundo a PF, empresários especializados no ramo recebiam de agentes públicos informações privilegiadas relativas às empresas concorrentes e orientações de como proceder para fraudar a licitação — com consequente desvio e apropriação de recursos públicos. Segundo a PF, existe corrupção na elaboração de leis municipais em Florianópolis, com o objetivo específio de beneficiar ricos empresário que pagavam altas somas de dinheiro aos integrantes da quadrilha.


Correspondente português do Cangablog, Leal Roubão, fez matéria "premonitória" sobre a Cãmara da Vereadores de Florianópolis, no último dia 7 novembro.


   Por Leal Roubão

   A Escolinha do Professor Raimundo é mais engraçada e mais inteligente. Vossa Excelência pra cá, pra lá e eles vão se desentendendo.
   Um dos mais velhos e mais sérios lembrou que o sul da Ilha tem dois sistemas de esgoto em andamento. Um deles deveria estar concluído em dezembro de 2014, mas não estará.
   Faltou empenho e disposição dos executores.
   O outro sistema, mais ao sul, tem verbas da JICA (Japan International Cooperation Agency) à disposição da CASAN, mas por falta de obras específicas, o dinheiro está suspenso.
   Assim, no meio de um possível merdamoto, eles discutem temas com muita graça.
   Um deles diz que o dinheiro aprendido com os dois elementos da Guarda Municipal é fato isolado. Ora, se é fato isolado, é suficiente para instalar a CPI.
   Outro diz que o tal vereador que denunciou o prêmio da "seu voto vale uma emenda de um milhão" é mentiroso.
   Outro reclama que um vereador afro-descendente foi alçado ao cargo de prefeito ilegalmente.
   A maioria joga para a platéia, sem nenhum comprometimento com a cidade.
   Nenhum deles fez referências ao novo sistema integrado de mobilidade urbana: ônibus pintados de azul e branco (homenagem ao Avaí), com a nova frase nas laterais.
   Nada mudou, apenas a cor dos veículos. Nos "amarelinhos" a cor foi mantida. Só o preço mudou: aumento de R$ 1 real.
   Ou são idiotas ou não são sérios. São enganados pela PMF e nada dizem.
   Se a capital sobreviver a esta Câmara, estará pronta para a próxima guerra no Oriente Médio.
   Eles atiram para todos os lados e pouco fazem pela cidade. Imagina uma Câmara destas num seminário da ONU sobre o futuro das cidades.

Nenhum comentário: