sábado, 2 de maio de 2015

Magistra Vitae em tempo de Ajuste Fiscal

Por Eduardo Guerini

Refletindo sobre as ações truculentas contra os 
construtores de futuro.
Descobrindo o quanto governantes ineptos não conseguem diferenciar PRIVILÉGIO de DIREITO
e BENEFÍCIO.

   Neste dia de luta dos trabalhadores, talvez por desvio de origem, tendo em vista que sou filho de professor e me tornei professor, acordei com suspeita reflexiva que a sociedade deveria exigir o IMPEDIMENTO de  GOVERNANTES que atacam brutalmente professores, usando ARMAS NÃO LETAIS e seu aparato policial.
   Eis que surge a dúvida diabólica  que move toda a classe do magistério em sua senda de vida:  é uma profissão de vida ou uma profissão de fé?
   Uma incansável classe trilha todos os dias  um caminho longo e tortuoso por todas as partes do imenso território brasileiro.  A lembrança de condições inóspitas é algo natural, embora incompreensível para maioria dos trabalhadores que acredita ser este ofício algo leve e saboroso.  
   Na “terra brasilis”, os professores são um bom enredo para campanhas eleitorais,  com ajuda da funcional ferramenta do “marketing político”,  especuladores da propaganda  criam uma realidade ficcional para o cotidiano do magistério em todos os níveis. 
   Na maioria das ESCOLAS BRASILEIRA atualmente, os locais de trabalho são depositório cruel de crianças e profissionais desvalorizados e descontentes. Um tom sombrio se abateu no ambiente escolar nas últimas décadas - o desencantamento na arte de ensinar e aprender.
   Não bastasse a penúria estrutural, nossos governantes que disputam majestosamente  espaços midiáticos em tempo eleitoral, mostram ESCOLAS com IMAGENS VISTOSAS,  narrando planos e metas que remetem ao REALISMO FANTÁSTICO, frutos de marqueteiros e articuladores políticos que se transformaram em ENGANADORES PROFISSIONAIS. Toda ESPERANÇA que a sociedade deposita na EDUCAÇÃO como base transformadora futura, se transformou em algo UTÓPICO para nação brasileira, em todos os níveis dos entes FEDERADOS, soterrando qualquer sonho de um mundo melhor.
   O uso político das escolas – local onde a liberdade de cátedra e expressão deveria reinar,  foi devidamente ocupado pela nefasta classe de “comissionados” ou “indicados politicamente”, todos devidamente apresentados por um parlamentar oportunista que pretende ampliar currais eleitorais. O que dizer  de SECRETÁRIOS DE EDUCAÇÃO que nunca entrou em SALA de AULA do ENSINO FUNDAMENTAL, a não ser para fazer visitas eleitoreiras e “selfies politiqueiros”????
   Quando nossa Governanta e Governadores, aliados no oportunismo sem plano e projeto, anunciaram que o PRÉ-SAL seria a TÁBUA DE SALVAÇÃO para financiamento da EDUCAÇÃO, a CANALHA POLÍTICA se assanhou em dizer que o BRASIL tinha encontrado a solução para a precária condição dos profissionais da EDUCAÇÃO. Ledo engano, a vulgata midiática criada pelo GOVERNO FEDERAL,  foi mais um peça teatral da incompetência gerencial que assistimos em plena vigência de um PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO  (2014-2014), que objetiva ampliar a universalização, melhorar as condições da oferta educacional. 
   Mas, na conta do AJUSTE FISCAL, qual foi a primeira classe afetada, os MISERÁVEIS PROFESSORES, que ano após ano, de governo em governo, são tratados como meliantes, na base do laço e chibata, tais como ESCRAVOS FUNCIONAIS. 
   Quando PROFESSORES necessitam MENDIGAR um PISO SALARIAL irrisório e ridiculamente baixo, considerando o TETO SALARIAL de VOSSAS INSULÊNCIAS, chegamos ao momento de reviver as LUTAS, ocupando RUAS E PRAÇAS, abandonando as ESCOLAS, para aquilatar um MOVIMENTO JUSTO DE TRABALHADORES oprimidos por uma CANALHA POLÍTICA DE OPRESSORES. Que façamos o AJUSTE FISCAL nos SALÁRIOS DOS MAGISTRADOS que autorizam desconto para GOVERNANTES QUE NÃO CUMPREM A LEI DO PISO NACIONAL DO MAGISTÉRIO!!! Que tal exigirmos a INVERSÃO DO PISO PARA GOVERNANTES, PARA REPRESENTANTES DO MANDATO POPULAR E MAGISTRADOS, e , PAGAMENTO DO TETO PARA PROFESSORES, PROFISSIONAIS DA SAÚDE E POLICIAIS???  QUE TAL EXIGIRMOS O FIM DOS PRIVILÉGIOS para uma CANALHA que se profissionaliza em MANDATOS REPRESENTATIVOS??? Que tal EXIGIRMOS que GESTORES trabalhem nas ESCOLAS, HOSPITAIS, RUAS – ambiente insalubre, periculoso dos profissionais que  tem os piores salários e ambiente de trabalho???
   Na resistente luta cotidiana por melhoria das condições de vida e de trabalho, não rendemos homenagens aos governantes de arlequim, repudiamos falsas homenagens,   seguimos vivendo e aprendendo, tudo pelo bom combate - no campo das ideias e da realidade.  
   Afinal, somos mestres  na interpretação, na leitura de realidade, aprendemos e ensinamos  a beleza da descoberta, redesenhamos a realidade. A vida é magistral!!! 

Nenhum comentário: