sábado, 2 de fevereiro de 2013

Queime Florianópolis, queime...

Foto de Cristiano Estrela
      
   Por Jerônimo Rubim

   Mais do que falta de respeito, foi falta de humanidade fechar o TICEN em plena sexta-feira, início oficial do carnaval. Nos adesivos dentro dos veículos lê-se coisas como "não suje ou risque os ônibus, cuide do que é seu". Mas quando essa "propriedade coletiva" sofre o risco de pegar fogo é que vemos a verdade. O transporte não é público, é privado e não serve ao público com seus preços abusivos, greves frequentes e desconforto. E agora mais essa, fecham quando querem, "hoje simplesmente não vamos funcionar, não perderemos mais ônibus". Como se isso fosse uma opção. E o povo, embriagado de trabalho e álcool (porque merece festar), está sempre à mercê de decisões completamente desconectadas do bem comum.

   Esse ridículo toque de recolher só reforça a percepção de que estamos em perigo, de que estamos sofrendo um ataque organizado. Deus, é uma guerra civil! Os idiotas já começam a clamar por mais polícia, subam os morros, instituam a pena de morte.

   No país das dicotomias paralisantes, que desconversa consigo mesmo, não podemos mais beber uma gota de álcool e dirigir, mas tampouco podemos pegar um ônibus depois do Berbigão do Boca. É uma armadilha social, que nos encurrala para dentro das nossas casas de muros altos e grades nas janelas. Em "Django", último filme de Tarantino, um latifundiário escravista, cruel, pensa alto em um jantar: "Nunca entendi porque os negros não se revoltam e matam a nós todos. Eles são tantos, mas tão subservientes..."

   Queime, Florianópolis, queime.

9 comentários:

Anônimo disse...

parabéns! texto muito bom!

Anônimo disse...

O cerceamento das liberdades individuais do cidadão fica patente no cotidiano, não apenas nas crises, como é o caso dos ônibus em Florianópolis, parados porque as empresas decidiram "proteger o patrimônio". A restrição da liberdade começa nas repartições públicas, quando os direitos são negados, mesmo com pedidos (insistentes) de habeas data e se estende no "não poder sair de caso pelo medo da crimanlidade". A liberdade negada no direito do ir-e-vir na cobrança de pedágios onde não se tem alternativas viárias equivalentes e passa pela orbigatoriedade de votar sempre nos mesmos candidatos ou naqueles impingidos pelos partidos de donatários. O país e os estados estão, em maior ou menor grau, divididos em sociedade alfa, beta e gama, bem típico de um Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley. sO parlamentos, nacional e estaduais, são os da sociedade alfa, mas anestesiam é o povão, claro, com bolsas misérias e mentiras. É entendido, então, porque é a maioria subserviente. Nenhuma revolução se faz com a fome, pois esfomeado é apenas um desesperado sem forças è merce dos que detém o poder. Mudar requer consciência.

Anônimo disse...

FORA SECRETARIA ADA DELUCCA! É MUITO INCOMPETENTE PARA ESTAR NUM GOVERNO.É INDICADA PELO VICE GOVERNADOR EDUARDO MOREIRA. GOVERNADOR RAIMUNDO COLOMBO TÁ NA HORA DE ACORDAR!!!!!!!

Anônimo disse...

Querido Canga,
Nenhuma linha sobre o crime ambiental da celesc com óleo cancerígeno ascarel. o que aconteceu? tô preocupado.

Pimenta disse...

Boa.Me assombra que a dona policia não tenha cérebro(ou poder,ou autonomia, ou tudo isso junto) para investigar os acionistas das empresas de ônibus para descobrir o que significam na verdade esses ataques.Mais fácil culpar revolta contra os valores das passagens ou alguma facção criminosa fora da política,do que descobrir e abrir para nós o podre dessa história.Somos encurralados,como qualquer animal em cativeiro,não é mesmo?E ainda somos responsáveis pela nossa própria gaiola..As pessoas clamam pela polícia porque não perceberam que o estado põe a nossa segurança nas nossas próprias mãos,nós somos os únicos responsáveis pela segurança que falta no estado, município,que deveria ser responsabilidade da administração do bem comum.Bom, cheguei aqui através do Beltra,via farcebook.Bjos

Anônimo disse...

Canga, não te preocupes com a canseira, o herdeiro tem texto e sensibilidade jornalística de escol. Quem sai aos seus não degenera. Abç Pulão

Anônimo disse...

se voce vive em um estado,onde a justiça se corrompe por miserel, auxilio moradia,onde um estado que possui um governo que cria lei de aumento de salario ao seu funcionarios, e nao cumpre,se voce vive em um estado que tem 32 secretarias,que nao funciona,verdadeiro cabide de emprego,se voce vive no estado em que tem rodizio de secretariado sem compromisso com o estado,se voce vive no estado em que coroneis delegados sao a maioria,e que nao paga seus policias de frente com salario conduzente,se voce vive em estado que que nao tem saude,educaçao,se voce vive em um estado que o transporte coletivo,é degradante,sem pespquitiva e sem licitaçoes,se voce vive dentro de um estado onde seu presos sao torturados e tratados como (bixo),para servirem de exemplo.se voce vive em um estado que tem em seu poder uma marionete,em infelismente voce vive em um palco da vida,pois o estado que nao preorisa sua gente e sua administraçao se torna um estado falido,e deichado aos interesses dos seus,(amigos)pois eles estao bem e o povo.como esta?isso chamomos de falencia multipla dos orgaos.CABE AO SENHOR DON QUIXOTE,CAVALEIRO ERRANTE A PREMICIA DOS VENTOS, ventos esses que nao chegaram mais.

Anônimo disse...

Triste é que, face à completa incompetência dos legislativos, deixam "conselhões" legislarem. Aí, o cidadão que bebe dois chopps (limite considerado aceitável em boa parte do mundo civilizado) fica igualado ao inconsequente à beira do coma alcoólico (e que vai continuar bebendo e dirigindo, não importa o limite tolerado). Acabamos de nos igualar aos países islâmicos. Ninguém me tgira da cabeça de que essa "tolerância zero" ao álcool foi lobby da bancada evangélica junto ao Contran. Ou então somos governados por imbecis mesmo.

Léo disse...

E os quase cegos, os analfabetos, os drogados, "dirigem"....