sábado, 12 de agosto de 2017

Carlos Araújo

   por Emanuel Medeiros Vieira
   Mesmo brevemente, queria homenagear Carlos Araújo, morto no começo da madrugada deste sábado, 12 de agosto de 2017, em Porto Alegre.
   Estivemos presos juntos, combatendo a ditadura, na Operação Bandeirantes (OBAN) - a maior sucursal do inferno que conheci na minha vida.
   Foi um dos seres humanos mais corajosos no enfrentamento da tortura que conheci.
   Discreto, quando a sua ex-mulher Dilma, assumiu a presidência da República, não foi atrás de "bocas" ou de sinecuras.
   Ficou na sua amada Porto Alegre, como atuante advogado trabalhista, ajudando a muitos clientes que não podiam pagar.
   E, naquela cidade, deixará os seus ossos. Fumante há décadas, sofria de problemas pulmonares.
  Foi também deputado estadual - creio que por três vezes - pelo PDT, no Rio Grande do Sul.
   Se, sinceramente, ACREDITO que a nossa vida é uma MISSÃO, ele a cumpriu plenamente - sendo fiel a si mesmo, aos seus valores, seguindo as suas convicções e combatendo o fascismo.
   Agora, digo-te adeus.
   Talvez, um dia, alguns sonhos dos nossos "ANOS JOVENS", sejam realizados pelas gerações vindouras. 


DESCANSA EM PAZ, CARLOS FRANKLIN PAIXÃO DE ARAÚJO (ou "Max"- seu nome de "guerra" na luta armada)!



Salvador, 12 de agosto de 2017

2 comentários:

Anônimo disse...

existem controvérsias quanto a doçura do falecido.

Léo disse...

Fato!