quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Pizzolatti suspeito de contrabando de arma de fogo

      O ex-deputado federal de Santa Catarina (SC), João Pizzolatti, que já foi homem forte do Partido Progressista no Congresso e está enfiado até o pescoço na Operação Lava Jato, volta às páginas nacionais por envolvimento em outros crimes, investigados pela Operação Politeia da Policia Federal.
    Desta vez, Pizzolatti é acusado de porte ilegal de arma de fogo e suspeita de contrabando. Em julho do ano passado, quando foi deflagrada a Operação Politeia, em uma busca no sítio de Pizzolatti na cidade catarinense de Pomerode, foi encontrada uma pistola Taurus modelo PT-101, calibre.40 e mais carregador e 30 munições.
   Após perícia, a PF concluiu que a arma estava em boas condições de uso mas não tinha registro no Sistema Nacional de Armas. Isso acendeu a luz vermelha dos policiais. Uma rastreada rápida na origem da pistola, na fábrica Taurus, resultou na informação de que a pistola havia sido vendida para uma empresa de Assunção, capital do Paraguai. 
   Como veio parar na mão do ex-deputado é o que a PF deve nos informar dentro de algum tempo. Este blog imagina que nesta operação, possivelmente, foi usado um "executivo de fronteira", ou seja, um contrabandista, que pode vir a ser o próprio Pizzolatti.
   Que coisa, né? Tem cada tipo de elemento neste nosso Congresso Nacional!!!!!

Nenhum comentário: