sábado, 9 de abril de 2016

MST move militantes do Paraná para o interior de Santa Catarina.

As informações são do editor do jornal Informe, de Caçador-SC, Cleriton Freire. Militantes tentaram se hospedar em hotel sem pagar.
  
  Um grupo de militantes do Movimento Sem-Terra, vindos de Palotina, no Paraná, chegou a Caçador, interior de Santa Catarina na tarde de ontem. O bando de homens mal encarados tentou se hospedar em um hotel da cidade. Como a recepcionista exigisse pagamento antecipado, acabaram desistindo e foram embora.

   O grupo teria ido em seguida para um bar da cidade beber. A descrição da recepcionista sobre os homens não poderia ser mais assustadora. Mal encarados, com olhar de gente que está disposta a tudo, fizeram até mesmo com que a moça entrasse em contato com a polícia pedindo ajuda. Durante o período em que permaneceram na recepção, falaram em "Funais, Postos de Segurança na região" e em ficar vários dias no município.

   Talvez a manobra envolva tentar declarar algum território da cidade como área índigena. E a preocupação com Postos de Segurança tanto pode ser com guaritas da Polícia Rodoviária, quanto com postos de segurança privada que as grandes empresas madeireiras da região mantém em suas propriedade.

   Teoricamente não há nada para o MST fazer em Caçador. O município tem tão somente pequenas propriedades rurais familiares ou então reflorestamentos altamente produtivos mantidos por grandes madeireiras. Mas é claro que o Movimento não está respeitando o critério da produtividade faz tempo. O que assusta é o perfil da linha de frente enviada como coluna avançada.

   Aparentemente o MST está disposto a absolutamente tudo para manter a quadrilha criminosa no poder. (Sulconection)

Nenhum comentário: