sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

STF mantém poderes de investigação do CNJ

Do Facebook da corregedora Eliana calmon
      Por 6 votos a 5 os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiram que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) tem o poder de iniciar investigações e punir magistrados independentemente da atuação das corregedorias locais dos Tribunais. Na prática, foi rejeitada a tese da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), que tentou reduzir os poderes do Conselho através de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI).
    Foram favoráveis à manutenção dos poderes do Conselho os ministros Gilmar Mendes, Ayres Britto, Rosa Weber, Cármen Lúcia, Dias Toffoli e Joaquim Barbosa. Os demais ministros defenderam a tese de que o CNJ só poderia abrir processos ou tirar os já abertos nas corregedorias locais em situações excepcionais e com motivação explícita.
    Durante o debate o ministro Gilmar Mendes disse que até mesmo as pedras sabem que o CNJ foi criado pela incapacidade das corregedorias locais julgarem seus pares – no caso, desembargadores de Tribunais de Justiça - por isso, deve ter seus poderes mantidos. Saiba mais. Beba na fonte.

Roberto Scalabrin deixou um novo comentário sobre a sua postagem "STF mantém poderes de investigação do CNJ": Finalmente o bem venceu... Ufa! Já estava quase desistindo. Uma pequena luz ao final desse imenso tunel de cheio de pizzas.

Nenhum comentário: