sexta-feira, 3 de julho de 2015

Ex-RBS dominam secretarias

   Do Bom Dia Floripa

   A concentração da publicidade oficial nos veículos da RBS, que incentiva e fortalece o monopólio da informação, recebe das agências de propaganda e das grandes assessorias de Comunicação oficiais, a justificativa de “critério técnico”. 
   
   O argumento é que esses veículos têm as maiores audiência e tiragem. Essa realidade sempre causou repulsa em Santa Catarina, mas praticamente nenhuma reação das várias centenas de pequenos jornais que circulam em Santa Catarina. 
    
   Com a capilaridade e grande aceitação, esse universo de publicações, a maioria com distribuição gratuita e tiragens sempre esgotadas, são submetidos ao jogo de poder para receber anúncios. 
  
    Quem publica “notícia ruim” não recebe publicidade, ensina a prefeitura de São José. A situação piorou bastante com o domínio das secretarias de Comunicação por ex-funcionários da RBS. Na Grande Florianópolis, eles comandam as verbas de publicidade nas duas maiores prefeituras, as de São José e de Florianópolis. 

   Também controlam a Secom do Governo do Estado. No caso de São José, o secretário de Comunicação é Fabiano Marques. Foi repórter e apresentador da RBS e da TVCom. Seu antecessor, o jornalista Guarany Pacheco, que chegou a assumir a Secretaria de Governo da prefeitura, também foi editor-chefe do jornal Hora e editor-executivo do Diário Catarinense. 

   Guarany deixou a prefeitura de repente e assumiu como secretárioadjunto da Secretaria de Comunicação do Governo do Estado, onde o secretário é Walter Bier Hoechner. Bier começou na RBS em 97, passou por todos os jornais da rede e, em Santa Catarina, foi diretor de jornais e de internet da RBS. 

   Guarany, lembram colegas editores, tem uma frase célebre: “Basta publicar no DC e na RBS. Todo mundo vê”. De fato, está todo mundo vendo. Depois que o governador Raimundo Colombo foi reeleito, e os ex-RBS assumiram a Secom, os pequenos jornais foram excluídos da publicidade oficial. Essa parece ser a nova política da Secom: eliminar da mídia oficial os pequenos veículos. 

   Na prefeitura de Florianópolis, o comportamento do secretário de Comunicação é democrático. O secretário, o jornalista João Cavalazzi, que foi repórter do DC durante 11 anos, sempre foi respeitado pela competência e ética. Construiu uma carreira de credibilidade. Como repórter, sabe que o que é notícia tem que ser divulgado, mesmo que desagrade o prefeito.

4 comentários:

Anônimo disse...

RBS é truste!

Anônimo disse...

Canga, alguma novidade da operação PAVLOVA ?

Ivan Castro disse...

É assim, mas vai acabar...pode ver que o numero de paginas está diminuindo e a realidade financeira, vai matar a grandeza dos jornais, ditos de Grande Tiragem. Como diz o "NOBLAT" - O jornal de papel morreu e esqueceu e deitar.

Anônimo disse...

Essa RBS é a Record me dão um nojo!