domingo, 18 de dezembro de 2011

Mosquito: a última carta

     Caros leitores, vai aqui um relato dos acontecimentos que vivi desde a notícia da morte do Mosquito na tarde do dia 13 de dezembro de 2011. 
    Espero dar um tempo no assunto pois já estou até os tubos de tanto receber mensagens e escrever sobre isso. Desde o acontecido não consegui mais blogar direito, fiquei triste, chocado e não estou dando conta de responder as centenas de e-mails e comentários que chegam na minha caixa postal.
     Tem muita gente me citando como herdeiro do Tijoladas coisa que não sou e nunca pretendi ser. O Cangablog é anterior ao Tijoladas e sempre teve a marca da irreverência e da denúncia com nome e sobrenome dos bandidos que se instalaram no poder em Santa Catarina. Isso vai de Luiz Henrique da Silveira até a ave de arribação que transformou a prefeitura de Florianópolis num grande balcão de negócios, o prefeito Dário Berger.
    Continuarei o meu trabalho de investigação e exposiçãos dos bandidos. A morte do Mosquito é uma perda para nós que estamos ao lado dos cidadãos honestos e pessoas do bem.
   Com toda a sua virulência e agressividade, o Mosquito era uma pessoa do BEM!
   Uma perda lamentável.

   O relato
   Domingo há noite (11) por volta de 00:30h o Mosquito me contactou pelo sms:
- Canguita, vou te mandar um texto
   Pensei que fosse algo para publicar no Cangablog, já que ele havia fechado o Tijoladas (e não a justiça, como ele colocou) e já me preparei para "cortar" alguma ofensa ou algo do seu estilo.
   Demorou um pouco e cobrei dele:
- Porra, manda de uma vez que daqui há pouco vou ver um filme e desligar o computador.
-Já foi. Abraço! me disse.

   O que recebi foi um pedido de ajuda, uma carta de amigo para amigo. Um pedido de ajuda pensando no futuro. Pedia ajuda para conseguir emprego. Pensava para a frente. Em momento algum essa carta me passou a idéia de que, algumas horas depois, o amigo estaria morto. Daria cabo da sua vida.
    Publico-a por achar que esta foi a coisa mais simples, sincera e real que o Mosquito já escreveu.

A carta:
 Canquita (sic)

Aqui é o incorrigível Musca!

O cara que atolou o pé na lama e não sabe como sair.

A barca era boa, só que fui fundo demais. Atravessei o caminho. 

O blog fez sucesso ficou famoso e eu sempre sem lastro economico ia levando. Outro dia fui ver e tinha passado meses com R$ 500 pila. Porra mais me dedicando. Fui ver agora, minhas roupas acabando, eu com uma filha de 11 anos, que praticamente não coonvivi.

Porra e minha ficha demorou a cair.
Só sobrou  casa e eu pensando que dava para viver pagando agua luz e comida.
A conta chegou.


Estou sozinho, minha familia não quer saber de mim. Eu também pouco olhei pra eles.
Pior minha saúde já não é essas coisas. Fiz um estrago grande que atinge minha capacidade de encontrar uma saída.

Deixando de vaidades, estou me abrindo para vc.
Preciso de trabalho CANGA, em empresa de amigo, não quero cargo politico. Prestar algum trampo remunerado.
Qualquer trabalho  ligado a administração, ou mesmo prestação de serviço.
Tens uma rede e gostaria que vc usasse. Muita gente se beneficiou das tijoladas, e nem cobro por isso.


Nesse momento to querendo um norte.
Uma coisa concreta. Minha filha entrou na parada. Não dá mais.
Um abraço

Musca


    Bem, li a carta e o que me chamou a atenção foi a forma do texto. Me parecia tão desafetada, sem nenhuma carga de virulência, sem nenhuma acusação, sem nenhuma tijolada. Apenas um pedido de amigo. Tinha ali uma humildade surpreendente. Um pedido de socorro sem desespero. Não consegui distinguir se era uma serenidade no meio da loucura ou falta da energia sugada pelo violento embate que travava dioturnamente contra seus algozes.
    Na terça-feira à tarde, recebo um telefonema de um amigo comum e fonte (quente) do Mosquito, dizendo que estava preocupado pois o mosquito havia telefonado e ele não pode dar atenção a ele no momento. Mas que estava muito preocupado.
    Terça-feira, 18:30h chego na Kibelândia e recebo um telefonema do amigo Izidoro dos Santos:
- Mosquito foi encontrado morto, enforcado

   Perguntei de onde a informação e o Izidoro me deu o nome e telefone da fonte, que havia telefonado pedindo o meu telefone.
   Liguei imediatamente para o Gonzaga, chefe da segurança do condomínio Pedras Brancas, onde o Mosquito tinha a sua casa. O Gonzaga era seu amigo e vizinho há muito tempo.
   Falou que estava na casa do Mosquito e me descreveu a terrível cena. Perguntei como havia descoberto e ele disse que um padre havia ido até a casa do Mosquito a pedido de um amigo de Itajaí que não estava conseguindo contato com o blogueiro há dois dias.
    O padre encontrou o Mosquito, já morto, e foi a casa do Gonzaga para chamar a polícia. Enseguida chegou uma viatura com dois PMs e mais tarde a perícia. Duas equipes, uma do delegado Attilio Leme, de Palhoça, e outra do Departamento de Inteligência e Investigação do SSP, destacado pelo secretário de segurança.
    O Gonzaga não soube me dizer quem era o padre que havia sido o primeiro a chegar na casa do Muska e nem o amigo de Itajaí que acionou o padre. Isso não fechava. Fiquei intrigado e achei bastante estranho pois o Mosquito nunca me falou destes personagens.
Pedi ao Jerônimo Rubim, meu filho, que investigasse que eram os dois. dentro de pouco tempo tínhamos a resposta: o amigo do Mosquito de Itajaí se chama (entre no blog do Nahor) e era amigo do Muska há bastante tempo. Nahor pediu ajuda ao Pe. Elizandro, que trabalha em uma paróquia de Palhoça.
 Nahor relata em seu blog:
    O fim: como não havia mais postado nada há alguns dias e seu celular estava desligado, pedi a meu amigo Pe. Elizandro, que trabalha em uma paróquia de Palhoça, que fosse até sua casa. Pe. Elizandro me ligou dia 13/12, às 17h20, dizendo que encontrou Mosquito sem vida enforcado em sua casa. 

É isso!!!!

8 comentários:

Anônimo disse...

Nós vacilamos, pisamos na bola, pois o Tijoladas ajudou a sociedade, mas ela deixou ele na mão.

liaseal disse...

E ele tinha saídas, não era tão difícil como ele imaginava. Fazia algum tempo já que ele não publicava nem comentários, achava estranho porque era até dando força e opções de trabalho. Numa das muitas paradas do blog, tirado do ar, não faz muito tempo, quando ele reclamava de falta de grana, pra variar, sugeri que já que ele tinha formação em Adminstração poderia fazer um cursinho de síndico profissional, área que está dando muitas oportunidades e se não dava pra ficar rico dava pra ganhar o bastante pra viver com certa tranquilidade. Como ele não publicou o comentário ( deve estar em alguma lixeira por lá), desisti de ficar olhando pra verificar a publicação. Maioria dos posts não tinha comentários publicados, achava estranho pq ele tinha leitores assíduos que não deixariam de dar pitacos. Pensei que ele andava então se afastando do blog pra cuidar de outras coisas, da vida, no que fazia muito bem.
Ninguém larga um computador, no meio de uma conversa como estava teclando, e simplesmente pega uma corda e se pendura. Algo precipitou, o que exatamente, talvez nunca saberemos.

Rodrigo V. R. disse...

Isso prova meu comentário em um dos seus posts o qual não foi publicado. Mosquito pediu ajuda a diversas pessoas, não vou culpar ninguém por sua morte. Mas talvez apenas um sms fala assim: "Musca vou te ajudar." seria o bastante para ele poupar sua vida. Como disse, ele ão tinha amigos e seu único amigo foi o computador.

JAIRO VIANA disse...

Eu ainda me conforto mas não me conformo ...pude dar a ele uma cordinha de varal, grampos pra varal, comprei uma camiseta e paguei uma diária de hotel quando ele esteve em Criciúma. Parecia que nos conhecíamos a séculos. Fique um pouco na Praça Nereu Ramos com ele e foi muito bom ...estava com viagem marcada prá Laguna ...dias depois depositei uns créditos no telefone dele ...que ele nunca soube de onde veio ....mas não pude fazer mais nada!Quantos deixaram de fazer um pouquinho só? Quem conheceu o Amilton Alexandre sabia que o Mosquito era um personagem ...Amilton doce e irrequieto ...Mosquito ...um maluco beleza que queria reformar o mundo! Igualzinho a muitos de nós!

Anônimo disse...

E ai Canga,

Vi o Mosquito umas 2 ou 3 semanas antes de seu falecimento, ali num barzinho da Av. Hercilio Luz, quase na frente daquele clube grande que tem ali, acho que é o clube 12. Desci do carro para comprar uma cerveja e ali estava o Mosquito sentado sozinho numa cadeira de plastico. Notei sua tristeza que pensei que ia se desfazer enquanto conversavamos, não que fossemos grandes amigos, conversamos pouquissimas vezes, mas seu sorriso sempre marcava presença. Daquela vez não, estava num desânimo fora do normal o Mosquito. Jamais ia imaginar esse desfecho lamentavel para os fatos. Fica talvez a lição por uma busca de apoio ou união entre a mídia que bate de frente com o poder, pois na hora de saboreae e concordar com as criticas ta todo mundo junto, mas quando a coisa complica o bixo pega e o Mosquito é um exemplo de como bater de frente com o poder é algo cansativo e muitas vezes ingrato.

Um abraço,

Cañas

Um abraço...

Anônimo disse...

Não conheci o Mosquito pessoalmente e me arrependo disso. Acompanhava o trabalho dele e era influenciada pelas suas idéias, nunca tive dúvidas de que ele era uma pessoa do bem. Agora lendo esses posts e os comentários das pessoas que o conheciam não pude evitar as lágrimas. Acho que ninguém prestou atenção o suficiente nele, sejam os amigos reais ou os virtuais, e sinto muito por isso. Se alguém tivesse ajudado ele, levado pro médico e etc, o fim poderia ser diferente. A dinâmica do mundo atual realmente nos afasta das pessoas, tudo passa tão rápido e quando a gente vê já aconteceu, como a morte dele.
Sem dúvida uma grande perda, pensei nisso todos os dias desde que ele se foi.
Amanda

Anônimo disse...

Do momento em que ele postou pedindo emprego e fechando o tijoladas até o momento em que se enforcou foram pouquíssimos dias... porque não esperou mais? Se matar não era com certeza a melhor solução e digo isso como alguém que já pensou seriamente sobre o assunto, mas encontrou saídas.

Anônimo disse...

A vida do cara se transformou depois daquela noticia do estupro, que por sinal ninguem falou mais nada. Gostaria de saber se os meninos foram punidos? Dai ele se matar, é no minimo muito estranho.Tudo pode ter acontecido alem de suicidio, de qualquer forma vamos rezar por ele e que a justiça seja feita.