segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Começa destruição de imóvel tombado no centro de Florianópolis

Mesmo com denúncia deste blog, de que a prefeitura aprovou ilegalmente, em apenas 17 dias, a construção de prédio comercial com mais de 20 mil m² em imóvel tombado no centro de Florianópolis, nada aconteceu e a construtora já iniciou a "limpeza" do local. A cidade assiste estupefata a ação criminosa que se valendo, apenas, de uma autorização fajuta do prefeito Dário Berger, sem nenhuma licença dos órgãos ambientais, começa a cortar árvores e a modificar a geografia do local


12 comentários:

Anônimo disse...

FLORAM EMBARGOU. DÊ FORÇAS, DIVULGUE, COBRE UMA AÇÃO DO MP. É SÓ ALI PRA SE APOIAR, CASO O DÁRIO NÃO DEMITA A DRA VERA LUCIA BASSO , SUPERINTENDENTE.

Anônimo disse...

EMBARGOU dpois de derrubadas as árvores? Vou te mandar fotos de ararinhas azuis ali em uma árvore que não existe mais. SÃO UNS MERDAS. Com vão cobrar o corte de um mísero bambu. INDECENTE. INACEITÁVEL. VERGONHA pro MP. Pra prefeitura não muda nada. Só facilitaram a vida de meliantes, agora com o beneplácito interesseiro e pragmático d MP.

Anônimo disse...

Infelizmente sabemos que esta gangue ira passar ilesa por todos estes crimes cometidos, esse pessoal da Floram cometeu crimes e mais crimes esta senhora não tem capacidade alguma de estar lá, tornaram um cargo publico hereditário.
o MP é fraco e devem ter o rabo preso também por que não fazem nada.
Tem que investigar as plaquinhas que infestam a cidade, obras autorizadas dentro de mangues e dunas, e camara que não fiscaliza nada, presidente de ipuf e susp que é presidente de sindicato de classe que se beneficiam de suas autorizações.
Infelizmente a previsão do fim do mundo se concretizou em Florianopolis.

Anônimo disse...

Prezado colega anônimo que postou em 17 de Dezembro às 22:25. Poderias me encaminhar a fotografia dessas aves e quaisquer outras que tiveres da área antes do corte? Tenho interesse neste caso. (ricawb@hotmail.com)

Anônimo disse...

Que beleza hein? E o córrego que passa dentro do terreno? Vão dar o afastamento previsto em LEI, ou vão desvia-lo e até canaliza-lo? Assim fica difícil, ou melhor, fácil....

Anônimo disse...

O córrego é um esgoto a céu aberto, cheio de lixo hospitalar do Hospital Celso Ramos. A prefeitura nunca permitiu que se cobrisse o leito do suposto "rio", sendo que o mesmo passa bem embaixo do prédio da casa do Barão, endereço do MP. Interessante é que na época da constrição da casa do Barão, ninguém tava nem ai com o "rio". É fácil ser comunista e ecochato com o patrimônio dos outros, não é mesmo?
Tem gente que até ganha a vida assim...

Anônimo disse...

E O MPSC AINDA QUER DAR CAMISETINHA NA SINALEIRA DE CAMPANHA CONTRA CORRUPÇÃO?

Anônimo disse...

se o córrego estiver poluído é só limpaar, assim fazem nos países desenvolvidos!

Torch Berry disse...

Vou ver se consigo alguma com melhor resolução e encaminho através do email indicado. Não sou especialista mas moro há mais de 35 anos nesta região. Vários pequenos bosques foram dando lugar a prédios. Existem pequenos bolsões: na Mitra Metropolitana, no Comando do Exercito e parte da Trompowyski, antes as chácaras da Pres. Coutinho, ao lado do Colégio Catarinense, na esq da Rua da "Leiteria" etc. Alguns pássaros são impressionantes.

Anônimo disse...

Possuo poucas fotos feitas com um celular que deu pau. Porém, vou tentar resgatá-las. Existem ainda alguns pequenos bolsões de áreas verdes densas (Exercito, Trompowyski, Mitra...) antes tinhamos as chácaras da Pres. Coutinho, muitas áreas verdes quando só existiam os edf. Famboyant e Dona Marta, enfim, são aves impressionantes que estão ' migrando' para algum lugar ainda não tomado por nós.

Anônimo disse...

O pessoal deve se lembrar de declaração do Lio Marin num passado nem tão recente de que o MPE tem interesse em adquirir o imóvel que será contruido no local (desde que dentro da lei) - E podem crer que certamente o será, ainda mais - com dispensa de licitação, como o foi aquele de 56 milhões cash da Tenente Silveira. Logo, via de consequência esperem tudo de todos, menos deles, litisconsortes na obra.

Anônimo disse...

Para quem interessar acompanhar o processo, seguem os dados da página do TJSC sobre a AÇÃO CIVIL PÚBLICA movida pelo MPSC. Os réus são Becker Construção Civil Ltda, José Carlos Rauen e Município de Florianópolis

Processo: 023.12.072272-3 (0072272-60.2012.8.24.0023)
Classe:Ação Civil Pública
Área: Cível
Assunto:Obrigação de Fazer / Não Fazer
Local Físico: 20/12/2012 00:00 - Distribuição
Outros assuntos:Liminar
Distribuição:Direcionamento - 19/12/2012 às 16:07
3 Vara da Fazenda Pública - Capital
Partes do Processo
Réu: Município de Florianópolis
Autor: Ministério Público do Estado de Santa Catarina
Advogado(a): Rui Arno Richter
Réu: Becker Construção Civil Ltda Paulo Roberto Becker
Réu: José Carlos Ferreira Rauen