segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Nice e Florianópolis

Nestes dias que tenho andado por Nice observo prédios, pessoas, comportamentos, me interesso pela história da cidade e percebo algumas semelhanças com Florianópolis.
Guardadas algumas proporções de idade, tamanho, cultura, origem de colonização e estilos arquitetônicos as duas cidades são litorâneas, se assemelham geograficamente, tiveram seu desenvolvimento, de certa forma, ligado aos seus portos e têm vocação turística.


Coloco lado a lado fotos de Nice e Florianópolis onde podemos observar que também temos um acervo histórico importante das nosssas origens e do nosso patrimônio cultural.
A diferença está em como este patrimônio foi tratado e de que forma é divulgado para seus habitantes no sentido de formar pessoas com conhecimento da sua própria história. Enfim, com cultura.Outra coisa que percebo é a relação de Nice com o mar, com a sua maravilhosa orla. Florianópolis, a medida que foi crescendo e se "modernizando" se manteve cada vez mais virada de costas para o mar. Os aterros, tanto da baia norte como da baia sul, tiveram como único obejetivo facilitar o trânsito de automóveis, legalizar e valorizar terrenos de elites incultas.
Quando penso no aterro da baia sul, com projeto urbanístico de Burle Max, hoje totalmente descaracterizado, e comparo com a orla de Nice percebo o quanto nossos administradores foram tacanhos e mercantilistas.É um desclabro Florianópolis desprezar um espaço daquele tamanho, contruido para afastar o mar da cidade e transformado em estacionamento de carros, barracas de vendedores de contrabando e de produtos pirateados, um centro de conveções gigantesco construido ilegalmente sem nenhuma preocupação com o paisagismo e estilo arquittetônico da cidade e finalmente a latrina da cidade. Uma Merda!
A destruição do Miramar com a chegada do aterro sul foi outro crime com o patrimônio da cidade. A tentativa de preservar a sua memória com marcos de concreto enfileirados em um espaço nobre do centro de Florianópolis é de uma pobreza tal que beira o ridículo. A aridez em que o espaço foi transformado, sem uma árvore, deve ter sido fruto do delírio de um desenhador que dormiu arquiteto e acordou artista. Pobreza!


Nice, Nizza, Nissa, Nicaea
-->
Ao contrário de Florinópolis, os dministradores de Nice, já no final do século 19, tinham as atividades da cidade essencialmente voltadas para o turismo. Mas não da forma como se faz em Florianópolis, um turismo pedrador, descaracterizador, ignorando a cultura e a história da cidade.
Para revitalizar Nice e suas tividades os administradores investiram toda as suas energias no domínio cultural. As Universidades de Valrose e Trotabas Carlone atraem uma grande população de estudantes a cada ano. Uma quantidade igualmente grande de museus ricamente dotado contribui para o renascimento da cidade.
Museus de Nice: Arte Massena e Museu Histórico, Museu de Arte Modern
a, o Anatole Jakovsky Internacional de Arte, o Museu Franciscano de Cimez, o Musée des Beaux-Art, o Museu Matisse, o Villa Arson e o Musée des Arts Asiatiques. Não se deve esquecer que Nice é também o lar de muitos artistas contemporâneos, como César, Yves Klein, Arman e Nikki de Saint-Phalle e Matisse.
Desde 1989, a cidade investiu ns suas atividades teatrais. O Centro Nacional de Artes Dramáticas da Côte d'Azur, ou ainda o Teatro Nacional de Nice, oferece programação da melhor qualidade artística.
Mas a principal atividade da cidade é sua indústria de turismo. Nice também teve seus pecados e foi desfigurada em muitas áreas por comerciantes com a conivência de dministradores sem noção da importância do seu patrimônio arquitetônico. Com temperatura média acima dos 10 ° C durante todo o ano, o seu carnaval, a gastronomia e o patrimônio arquitetônico, Nice é um lugar onde as pessoas vivem e desfrutam a vida com alegria segurança.
A cidade possui dois importantes centros históricos: o morro Cimiez, onde os vestígios da ocupação romana ainda pode ser visto e a velha Nice. Le Vieux Nice é seu centro histórico com todos os prédios preservados. Uma maravilha.
A cidade, com a primeira guerra mundial, perde um pouco do seu encanto. Com a ocupaçaõ alemã, na segunda guerra, Nice foi totalmente desfigurada mas retornou com o mesmo espírito de resgatar sus origens e compreender importância de preservar a sua história.
Aqui, em Nice, foram necessárias duas guerras para destruir a cidade. Em Florianópolis bastaram alguns administradores inescrupulosos com a cabeça voltada somente para os negócios e o mercantilismo. Uma lástima!

L.C. deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Nice e Florianópolis": Florianopolis é a cidade que poderia ter ter sido mas não foi, como diria algum poeta. E cada vez é menos. Será que Nice tem monstrengos cabeça de porco à beira-mar e gabarito das construçoes são maiores que seis andares?

2 comentários:

Anônimo disse...

Florianopolis é a cidade que poderia ter ter sido mas não foi, como diria algum poeta. E cada vez é menos. Será que Nice tem monstrengos cabeça de porco à beira-mar e gabarito das construçoes são maiores que seis andares?

Anônimo disse...

Canga,

Pra ficarmos parecidos com Nice bastava trocar os governantes. Talvez ate o povo. O resto é fácil.

Abs

Cesarlaus