terça-feira, 31 de janeiro de 2012

A volta de Laurita Mourão de Irazabal

    Foi com muita alegria que recebi hoje esta "cartinha" da querida amiga e colaboradora do cangablog, Laurita Mourão.
    Laurita andava ausente das páginas há tempos. Agora reaparece escrevendo de Punta de Leste, Uruguay, lugar onde desfruta dos prazeres do mundo e leva a vida como mais gosta: curtindo!
    Que bom que estas de volta Laurita! Um beijo da Gisa, Ana Laura, Isadora e Luisa!

Por Laurita Mourão

Querido Sergio, grande Canga !

    Nos meus 85 anos de idade, cá estou eu uma vez mais em Punta del Este, depois de aposentada e ter voltado a morar no Rio, esta é a minha 20a. temporada nestes lares ! Enquanto estive morando no exterior durante quase 50 anos entre Madri, Paris e Manhattan servindo o Brasil, não tinha condições de veranear aqui pela distância e então frequentava a vizinhança do Salvador Dali e da Gala em Cadaqués na Espanha.

     A democratização mundial para quem vive muito como é o meu caso e tem a oportunidade de poder observar em volta, é incrível, desde os anos 50, como mudou este chic e já mundialmente famoso balneário !!! Nessa época, pouquíssimos eram os edifícios de apartamentos e assim mesmo quem os ocupava era uma Classe Média A porque as palacianas mansões rodeadas de pinheiros atlânticos e magnólias floridas estavam nas mãos dos argentinos milionários ou de alguns poucos uruguaios senhores do campo onde se criam as ovelhas "Corriedale" e as vacas "Hereford" !!!
     Agora, 50 anos depois da minha primeira temporada de Verão nestas beiras do frio Oceano Atlântico, se construíram aqui, só no ano passado, segundo estatística oficial, uns 147 novos edifícios de apartamentos em sua maioria de altíssimo luxo com preços para a venda equivalentes aos milhões de dólares que se pagam na orla da nossa Ipanema e do nosso Leblon no Rio de Janeiro !
     E o povo que anda atualmente nas ruas, frequenta as lojas de famosas grifes ou está como lagartos estirados nas areias depois do meio dia que é quando o sol aqui esquenta, não é mais aquele político conhecido e sua família ou aquele estancieiro que vinha gastar aqui o que ganhou vendendo a lã ou o trigo, senão uma gente nova que aparece com carros emplacados no Paraguai, em alguma cidade do Brasil ou, como foi sempre, vindos da Argentina. Não há mais gente conhecida nos elegantes bares das praias ou nos diversos tipos de caros restaurantes onde até o ítalo-brasileiro Fasano se perfila recebendo a nata dos "poderosos-veranistas-com-dinheiro-de-plástico" para fazer frente ao alto monto dos gastos ao sentar numa de suas mesas.
     O clima, sim, implacável, ainda é o mesmo: calor civilizado de dia para quem deseja fazer esportes de mar, jogar golf ou tênis, e noites frias de 14 graus C que não nos impede de tomar os deliciosos sorvetes do "Freddo" ou do "Arlequino" mas nos obriga ao quase sexual prazer de dormirmos sob macios édredons ou finos cobertores de lã inglesa. Nada de calores senegalescos como os que nos oferece, de cara-lavada, a maioria das nossas mais famosas praias brasileiras nesses primeiros meses de cada ano !
     A Senadora uruguaia Julita Pou de Lacalle, esposa do ex-Presidente da República Luiz Alberto Lacalle, declarou, num excelente artigo publicado há um par de anos no prestigioso jornal "El País" de Montevidéu que, se o Governo desejava fazer alguma melhora nos lugares turísticos do país principalmente em Punta del Este, não deveria perder de vista que o "Turismo de Verão" nesse chic como agradável balneário Puntalestiano, que está entre os tres melhores e mais famosos do mundo, tem uma limitada temporada que vai do dia 15 de dezembro ao dia 31 de janeiro. Para quem conhece bem este paradisíaco lugar sabe que, depois dessas datas, deixa até de ser elegante gastar dinheiro passeando-se por aqui ... Como a Gata Borralheira transformada em Princesa perde seu sapatinho de cristal passada a meia noite ...
     Noves fora comentários desse tipo agradável de lazer, o povo aqui, através de sua imprensa e canais de televisão, faz as mesmas queixas que nós aí no nosso torrão natal: vida cara, impostos exorbitantes, escolas e universidades em decadência no seu ensino e na sua disciplina, o planeta sendo ecologicamente destruído, gastos públicos desmesurados, crimes e acidentes de trânsito em visivel aumento, políticos menos dedicados ao bem-estar do povo e mais interessados nos seus bolsos, e o Presidente da República tem a mesma característica que a nossa já estimada Dilma: são velhos guerrilheiros.
     Com o apreço de sempre sou a sua, amiga e admiradora, Laurita(Linhares Mourão de Irazabal), com carinhos para a Gisa e beijos para a netinha Luiza e um respeitoso abraço para o Editor Nelson Rolim de Moura.

4 comentários:

Anônimo disse...

Li o livro dessa senhora,e gostei.Mas também fiquei sabendo como era bom ser filha de militar no tempo de ditaduras.

Anônimo disse...

Li o livro dessa senhora,e gostei.Mas também fiquei sabendo como era bom ser filha de general no tempo de ditaduras.

helcio ribeiro disse...

conheci laurita mourão em new york, num baile, um amigo havia me falado sobre A MESA DO JANTAR, era amigo de um primo dela de belo horizonte, rodrigo mourão.
Mulher como poucas , muito inteligente.
Laurita voçe é nota 1000. Parabens pelos livros.
enjoy punta del este.

Beatriz Parreira disse...

Mulher admirável, em seu livro A mesa do jantar, viveu muito à frente dos tempos, levantando bandeiras, de liberdade feminina, liberdade de opção sexual, que infelizmente ainda hoje, enfrentam preconceitos. Voce é mesmo nota 1.000.
Beatriz Parreira - Belo Horizonte/MG,