quarta-feira, 13 de junho de 2012

STF “reaposenta” 7 juízes e 3 desembargadores

   Do blog do Pannunzio  
   Acabou a farra no Judiciário de Mato Grosso. O Supremo Tribunal Federal cassou a liminar que havia “desaposentado” 7 juízes e 3 desembargadores daquele estado. Os juízes foram punidos pelo CNJ com a mais severa sanção administrativa aplicável  – a aposentadoria compulsória — por envolvimento no desvio de dinheiro do TJMT para a construção de uma loja maçônica.
    O presidente do TJ , desembargador Rubens de Oliveira Santos Filho, expediu agora há pouco uma nota comunicando que eles serão afastados assim que o STF formalizar a decisão de cassar a liminar que havia restituído os cargos a eles. A liminar foi foi concedida pelo decano da Corte Constitucional, Ministro Celso de Mello.
    Um dos que sairão é o desembargador José Tadeu Cury.  Ele continuou despachando como se não tivesse acontecido nada até quatro dias depois da decisão do CNJ de aposentá-lo. O Blog do Pannunzio denunciou que nesse hiato ele beneficiou a empresa de ônibus de um deputado estadual, autorizando-a a explorar linhas concedidas a um concorrente.  Post sobre o assunto pode ser lido aqui.
    Na semana passada, o blog veiculou uma reportagem informando que, segundo advogados que atuam em Cuiabá,  a indústria da venda de sentenças havia sido reanimada com a volta dos aposentados. Em outro post, do dia 6, dava conta de que José Tadeu Cury havia arquivado uma sindicância que investigava o juiz Cirio Miotto, também afastado do TRE sob a acusação de venda de sentenças. Miotto é có-réu da esposa do desembargador Tadeu Cury num processo que corre no STJ para apurar desvios da mesma natureza.

2 comentários:

Anônimo disse...

Que estranho. Maçonaria e TJ ligados? Venda de sentença? Que será que os candidatos à OAB/SC dizem disso e de um outro post publicado neste prestigiado espaço, sobre a briga da OAB/RJ x Ophir e Conselho Nacional, aliás, um conselho silencioso, como diriam bodes e demolays, voltado à preservação dos fatos e 'mal-feitos' em SC (que existem documentados por audiroria externa) intramuros ...

Anônimo disse...

Se um cara desses que recebe um subsídio de quase R$ 20.000,00 precisa de "auxílio" para morar então, imagine o povo recebendo uma merreca de salário e tendo que pagar aluguel, água, luz, escola, alimentação e muito mais.
Já está na hora desse pessoal criar vergonha na cara e parar de explorar o povo que só trabalha e nunca tem dinheiro.

Ass: Um pobre servidor do governo de SC.
(ou servidor pobre...)