sexta-feira, 15 de junho de 2012

Um negro na Alesc! E daí?

     A imprensa caseira deu como uma "grande África" (lembram desta?) a posse do negro, Sandro Silva (PPS), suplente de suplente, que susbstitui o deputado Altair Guidi na Assembléia Legislativa de Santa Catarina. (O primeiro negro na Assembleia de SC)

     A jogada já estava armada, Sandro Silva sairia do Deter (Departamento de Transportes e Terminais), onde deixou um rastro de "mal feitos", e assumiria no lugar de Guidi. Só que nem tudo acontece como se pensa. Altair endureceu o lombo, se agarrou na cadeira e valorizou o passe. O valor não se sabe, mas deve ter sido bom...para o Gudi. Sim, é assim que funciona!

    Sandro Silva ficará até 10 de agosto na Alesc, com um recesso parlamentar pelo meio. É grande a expectativa da atuação do primeiro negro na Assembléia Legislativa. Que projetos apresentará nas pouquissimas sessões que terá? Será uma atuação extenuante. Alesc A/SS e D/SS.

    O estardalhaço na imprensa feito em cima da posse do "negro" Sandro Silva, me parece racismo do mais puro. Acredito que o crédito para alguém que consiga ocupar um cadeira no Legislativo deva ser dado à pessoa e seus "bem feitos" à comunidade e não por que é negro, azul, amarelo ou vermelho.
    Já que a nossa imprensa está em um programa de integração, ou como gostam o politicamente corretos, de inserção social, seria o caso de ter alardeado com galhardia a posse do deputado Duduco, como o primeiro "viado"* (assumido, é claro) a sentar em uma cadeira da Assembléia Legislativa. Não aconteceu!

    Mas o que mais me surpeende é que, além da badalação racista, ainda compararam  Sandro Silva com Antonieta de Barros, a primeira mulher negra a ocupar uma cadeira na Alesc.

    Meus sais, por favor!!! (parafraseando o grande Tarso de Castro)

    Acredito que na falta de currículo de qualidade para o novo parlamentar a imprensa tenha se apegado à cor do indivíduo para enaltecê-lo. Mas daí a comparar com Antonieta de Barros tem uma distância que nem o tio Bruda, gaúcho andarilho, percorre em um ano com o seu pingo.

Antonieta de Barros, jornalista, fundadora de dois jornais. Foi professora notável, criando cursos e escolas. Lecionou no Colégio Coração de Jesus(particular), e no Colégio Dias Velho(público), o atual Instituto Estadual de Educação. Eleita deputada para na Assembléia Estadual Constituinte em 1935. Atuante, era interlocutora de Bertha Lutz, pioneira no movimento feminista do Brasil.


Sandro Silva, assumiu o Deter afirmando seu compromisso de ficar 4 anos e cumprir a missão. Ficou um ano (leia aqui). Ausente no trabalho transformou a instituição, que continua acéfala, numa verdadeira torre da Babel. Recentemente foi acusado de usar carro locado pelo Deter, sem identificação, para fazer campanha política em Joinville. Depois da denúncia os carros foram devolvidos ao órgão (leia mais aqui). Acusado de aprovar, reajuste das tarifas do transporte coletivo intermunicipal de passageiros em aproximadamente 8,0 % sem o conhecimento de Valdir Cobalchini, Secretário de Estado da Infraestrutura e seu superior imediato. Por que seria? Negócio próprio? (leia mais aqui).

    Sandro Silva é mais um desses chupins, aves de arribação, que usam a estrutura do estado, o dinheiro público, para alavancar candidaturas políticas que, eleitas, voltarão a ocupar cargos públicos e preparar a estrutura para a próxima eleição. De bom não deixam nada, apenas um rastro de destruição por onde passam.

    Infeliz a comparação com Antonieta de Barros.

*Viado é viado mesmo e não veado, o bicho. Viado vem de transviado (etmologia popular).

5 comentários:

Anônimo disse...

Ih Canga, daqui a pouco vem aquele vereador negro e racista com mania de preseguição tirar satisfação com vc!! Parece que ele enviou carta ao Papa para que reclame com Deus por ter feito a noite escura!!!

Anônimo disse...

Canga.
Curiosamente o slogam do Altair Guidi em seu site é "O homem público de honra seus compromissos". Como ele vai explicar aos seus 24.202 eleitores, que está abandonando o cargo para o qual foi eleito para beneficiar pouco mais de 18.000 eleitores de Joinville que votaram no Sandro Silva? Parece que honrar compromissos não é bem o jeitão desses dois! O Sandro foi eleito vereador e renunciou. Foi para o DETER para ficar 4 anos (dito por ele) e saiu. Foi para a Assembléia e vai sair para concorrer à Prefeitura de Joinville. Se for eleito será que fica?

Nelson Jvlle disse...

Se for eleito, será que fica?
Vire essa boca pra lá, Anônimo. Aqui em Joinville já basta o Tebaldi, se achando o rei da cocada preta (epa) ameaçando o povo de voltar a ser prefeito. Voce ainda acrescenta o Sandro?
Taix tolo, taix? Fecha a matraca, istepô!

Luís Roberto Bastian disse...

Este cidadão teve uma atuação pífia como vereador e presidente da Câmara de vereadores de Joinville!
Foi alçado ao DETER por manobras politiqueiras e troca de favores! E agora, da mesma forma, chega a Assembléia Legislativa Estadual.
Reparem que em todas as situações ele foi politicamente alavancado!
Como diz o texto acima, na falta de um curriculo político temos qeu fazer propaganda com o que temos : - O fato dele ser afrodescendente.
Pena para os negros...
Triste comparação com Antonieta Barros...
Pena para todos nós...

Anônimo disse...

Pensei o mesmo que foi comentado pelo primeiro anônimo, estranho que até o momento aquele tal vereador não ter se pronunciado, ou melhor, choramingado. Será que é porque estamos em ano de eleição municipal