domingo, 4 de março de 2012

A BLOGUEIRA CUBANA

    Por Janer Cristaldo
 
    Quando comecei a trabalhar na Folha de São Paulo, em 1990, Fidel Castro ainda era presidente de Cuba. Ai do jornalista que ousasse chamá-lo de ditador. Havia discussões bizantinas na redação, sobre as sutis diferenças entre presidente e ditador, mas acabava sempre prevalecendo o presidente Fidel Castro. Na época, tanto Kadafi como Osni Mubarak também eram considerados presidentes. Hoje, os jornalistas enchem a boca com a palavra ditador, ao referir-se a estes ditadores.

    Os tempos mudaram. Foi preciso cair o Muro, dissolver-se a URSS e desmoronar o comunismo para os jornalistas chamarem os bois pelo nome. Mas, objetareis, que têm a ver Kadafi ou Mubarak com comunismo? A rigor, nada. Mas se mantém uma política anti-ocidente, são potencialmente aliados dos comunistas. Ainda hoje, há muito jornalista que se pretende comunista e chama Ahmadinejad de presidente.

    Os tempos mudaram, dizia. Mas não em Cuba. Em artigo para o Estadão, Yoani Sanchez – a assim chamada blogueira cubana – comenta a visita de João Paulo II a Cuba, em 1998. “Uma verdadeira avalanche de brincadeiras e histórias satíricas teve como protagonista tanto o próprio papa quanto o então presidente Fidel Castro”. Castro estava já há 38 anos no poder e, para a blogueira, ainda hoje é presidente. A imprensa tupiniquim, pelo menos, evoluiu um pouco.

    Há horas venho suspeitando dessa moça, que faz oposição ao regime cubano com um blog que administra a partir de Havana, onde vive livre como um passarinho. Consta que seu blog é traduzido em 18 idiomas, o que é um feito e tanto para uma blogueira que se pretende independente. O fato de qualificar Castro como presidente, hoje, no Estadão, é significativo. Será que a moça ainda não percebeu que viveu toda sua vida numa ditadura?

    Confesso não ter dados para afirmar qualquer coisa a respeito da moça. Em falta destes, transcrevo abaixo artigo que me foi enviado por mãos amigas, de Salim Lamrani, ensaísta francês, professor da Universidade de Paris-Sorbonne e da Université Paris-Est Marne-la-Vallée. Vendo pelo que comprei. Não tenho como avaliar a veracidade dos dados levantados pelo autor. Seja como for, uma entrevista de Yoani Sánchez feita por Lamrani no primeiro trimestre do ano passado, é bastante significativa. A todo momento, a blogueira se esquiva ao responder às perguntas. Com o leitor, as conclusões:

http://agencianota.blogspot.com/2012/02/entrevista-com-yoani-sanchez-por-salim.html

    QUEM ESTÁ POR TRÁS DE YOANI SÁNCHEZ

    Salim Lamrani

    Yoani Sánchez, famosa blogueira cubana, é uma personagem peculiar no universo da dissidência cubana. Nenhum opositor foi beneficiado a exposição midiática tão massiva, nem de um reconhecimento internacional semelhante em tão pouco tempo. Após emigrar para a Suíça em 2002, ela decidiu retornar a Cuba dois anos depois, em 2004. Em 2007, integrou o universo de opositores a Cuba ao criar seu blog “Generación Y”, e se torna uma crítica feroz ao governo de Havana. Leia tudo. Beba na fonte.


L.A. deixou um novo comentário sobre a sua postagem "A BLOGUEIRA CUBANA": Yoani Sánchez cheira a farsa, só não se sabe para qual lado da balança pende. O Janer deixa claro e, num mundo onde tudo é possível na fabricação de "notícias", nada se duvida. Brava lembrança, Canga. 


Cosmonauta deixou um novo comentário sobre a sua postagem "A BLOGUEIRA CUBANA": Interessante o tema e muito a propósito, Castelo Branco, Costa e Silva, Médici, Geisel e Figueiredo também não são chamados de ditadores pelo PIG. Pelo menos no Brasil não chamamos mais ditadura de "revolução". 

4 comentários:

JORGE LOEFFLER .'. disse...

Ano passado, conheci em Porto Alegre num encontro de blogueiros realizada nas dependências do Legislativo Municipal a jornalista cubana Norelys Morales, editora do blog http://islamiacu.blogspot.com/. Conversamos por algumas horas e soube que a blogueira Yoani é uma fraude que serve aos interesses dos americanos do norte.Disto eu já desconfiava.

Cosmonauta disse...

Interessante o tema e muito a propósito, Castelo Branco, Costa e Silva, Médici, Geisel e Figueiredo também não são chamados de ditadores pelo PIG. Pelo menos no Brasil não chamamos mais ditadura de "revolução".

Anônimo disse...

Yoani Sánchez cheira a farsa, só não se sabe para qual lado da balança pende. O Janer deixa claro e, num mundo onde tudo é possível na fabricação de "notícias", nada se duvida. Brava lembrança, Canga.

Anônimo disse...

É fácil entender e explicar o comportamento de alguém "preso" - não me refiro aos das masmorras -em Cuba, desde que se esteja do lado de cá do mar. Ou alguém acredita que se alguém chamar Fidel de ditador continuará livre leve e solto?