terça-feira, 21 de agosto de 2012

Um circo chamado FATMA

    O Cangablog recebeu denúncia de servidores da FATMA (Fundação do Meio Ambiente de SC) que, por motivos óbvios, pedem sigilo da fonte. O documento tem identificação e telefone para contato. O relato feito por técnicos de carreira do órgão está todo comprovado documentalmente inclusive com Boletim de Ocorrências.

    O documento:
    Com a intenção de informar quem está de fora, segue um pequeno relato sobre os últimos acontecimentos na Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina:
   Conforme dito pelo presidente da Fundação, Murilo Flores, em palestra na Rio+20, as unidades de conservação administradas pela FATMA fazem parte da “agenda positiva” da instituição. Ocorre que os 20 funcionários da GERUC - Gerência de Unidades de Conservação, vinculada à DPEC – Diretoria de Proteção de Ecossistemas, convocados para uma oficina de planejamento das UC’s (unidades de conservação) foram alvo de um abuso por parte da Diretoria de Adminstração do órgão. Mesmo tendo mandado as solicitações de viagem dentro do prazo da lei 6475, para que as diárias sejam depositadas até 48 horas antes da viagem programada, as diárias para pagamento de hotel e alimentação foram depositadas dois dias depois do retorno dos servidores! Houve servidor que teve que pedir empréstimo para conseguir quitar a conta do hotel. Vale ressaltar que nos 3 dias em que estiveram planejando o futuro das UC’s estaduais, os servidores ficaram em média 9 horas por dia trabalhando e sem receber hora extra (a carga horária diária do servidor estadual é de 6 horas).
   Qual não foi a surpresa quando servidores da DFIS e DILIC (Diretorias de Fiscalização e Licenciamento) sofreram o mesmo tipo de tratamento quando estavam prestes a participar de um curso de para controle ambiental de postos de gasolina em SC, com duração de dois dias, com carga horária prevista de 10 horas e 14 horas para cada dia. De novo sem garantia de recebimento de diárias e muito menos de horas-extra. Para solução desse problema, o governo instituiu o banco de horas porém, as horas trabalhadas fora do escritório, em vistorias, planejamentos, capacitações e fiscalizações por exemplo, não são computadas no tal banco de horas.
   Outra informação importante é sobre o monitoramento dos carros da Fundação por meio de chips instalados no motor. Em certa ocasião, por falta de entrega do relatório do veículo pelo técnico que o estava dirigindo e a pedido da diretora de Administração, Valéria Madalena Vieira Lazzari, o veículo, através do sistema de monitoramento, foi desligado quando estava em movimento, quase causando um acidente grave com dois servidores à bordo. Tudo isso está comprovado e registrado no tal sistema, bem como no boletim de ocorrência registrado pelos servidores, com o intuito de ao menos tentar se proteger e evitar novos abusos, totalmente desnecessários, ilegais e sem sentido, como este. Para contornar a situação, a diretora emitiu um comunicado falando sobre o acontecido, alegando “falha” no sistema.
   Na data da última assembléia dos servidores, dia 02/08/12, houve gerente dispensando funcionários do trabalho para que não comparecessem à assembléia marcada pela associação dos servidores para o mesmo dia.
   O que há na verdade é um teatro armado, no qual o Murilo Flores autoriza tudo e tudo permite e a diretora da Administração banca a durona passando por cima das decisões do presidente. Sabemos que esse jogo é para distrair e encobrir maracutaias maiores. Estamos de olho!
   A intenção do artigo é deixar claro que esses abusos estão acontecendo, mas têm hora para acabar, pois os servidores estão unidos e decididos a não deixar passar mais essa humilhação, pois todos esses servidores são técnicos que querem exercer sua função com dignidade! Mais que isso, os servidores mudaram de atitude e não vão baixar a cabeça para nomeados comissionados que não sabem o verdadeiro valor do trabalho realizado pelos técnicos de carreira da Fundação, usam a Fundação e suas atividades apenas para fazer discursos inovadores e futuristas, mas as práticas são retrógradas e ditatoriais. 

3 comentários:

Anônimo disse...

boa materia canga

Anônimo disse...

Caro Canga

Somente agora que vc descobriu o SuperSecretario Murilo Flores...
Veja... dica: google e digite murilo flores grampo...
Veio corrido de Brasília...
Só engana aqui...
Na transparência sc (recebe mais de R$ 27.000,00)que são repassados para a Embrapa e ainda mais R$ 6.000,00 (FATMA)... estes são os cortes do Colombo...e muita mais coisa esta sendo feita na FATMA...

Anônimo disse...

Canga,

O Banco de horas só funciona em alguns órgãos do Governo assim como pagamento de horas extras.