segunda-feira, 25 de outubro de 2010

A volta de JKB ao governo de Santa Catarina


Dado como certa, nos meios políticos catarinenses, a volta de Jorge Konder Bornhausen ao Palácio Barriga Verde. Depois das tormentosas notícias da importação do Bornhausen Boy "Bira" (Ubiratan Resende) dos EUA, pelo governador eleito "Rai" (Raimundo Colombo) fica cada vez mais evidente que Jorge Bornhausen será quem vai governar de fato o estado. Para muitos políticos, Jorge já está governando.
A imposição (JKB não indica, impõe) do nome de Bira é uma prova evidente disso.

Ala Bossa Nova e a federalização das Letras podres
A notícia da indicação de Ubiratan Resende para a Secretaria da Fazenda, que a princípio apareceu nas colunas políticas como um fato isolado e visto apenas pelo aspecto político, tem também o seu viés econômico...digamos, comercial.
O nome imposto por Jorge Bornhausen para ficar com a chave do cofre do Tesouro de SC tem tudo a ver com essa nova investida de Bornhausen, Petrelli, Pavan, Ideli e outros comerciantes, para federalizar as Letras falsas do governo de Santa Catarina forjadas no governo pemedebista de Paulo Afonso. 

Tudo faz parte de um plano: esquentando as letras podres, o Bradesco que micou com a famosa "corrente da felicidade" ficará muito feliz. Receberá o dinheiro que investiu, com juros naturalmente, e o estado de SC ficará com o prejuízo, ou seja, o mico fica para nós, catarinenses.

O que causa espécie é o envolvimento de Jorge Bornhausen e seu fiel escudeiro, do Bradesco Seguros também, Mário Petrelli, nesta insistência em ressucitar as Letras já condenadas pela justiça e por todas as instituições públicas que sabem da sua ilegalidade.

JKB e Mário Petrelli, que se saiba, não são políticos com mandato e nem secretários de estado. São empresários. Qual o interesse nesse assunto? Dinheiro é claro!

Um favorzinho destes ao Bradesco renderia boas comissões à turma. E o estado de SC? Bem, o estado que se lixe!

Raimundo Colombo assume o governo com uma votação fantástica e aprovação da grande maioria dos catarinenses. Agora terá a sua prova de fogo. Tem um imbróglio político para resolver com os líderes de seu partido, gente com voto e mandato.
Será o momento de provar que tem aquela personalidade toda ou se será apenas um marionete nas mão habilidosas das velhas raposas políticas do seu partido. Para isso terá de contrariar a máxima que anda pelos corredores da Alesc: 

"Raimundo ganhador, Jorge governador"!
Terá coragem de fazer o que dois governadores (Amin e LHS) fizeram? Repudiar qualquer tentativa de ressuscitar a Letras ilegais?

Estamos à espera governador (por enquanto) Raimundo!

Em tempo: será coincidência ou todo o mundo faz parte da mesma turma? Vocês sabem quem deu a liminar para dar aos títulos liquidez imediata, ou seja, um cheque em branco ao Bradesco? O desembargador Carlos Prudêncio !!!!

Mundo pequeno esse, hein ?

Aline deixou um novo comentário sobre a sua postagem "A volta de JKB ao governo de Santa Catarina":JKB é tranqueira na certa. Ele e LHS juntos então... é o caos! Não votei no Raimundo, mas espero que ele faça um governo decente, com as suas próprias ideias e convicções, sem ficar seguindo a velharia da velharia do poder de SC. Espero que ele chute a ala velha do DEM e renove a administração, colocando pessoas competentes nas devidas pastas.
 
Aline deixou um novo comentário sobre a sua postagem "A volta de JKB ao governo de Santa Catarina": Pelo que andei lendo, o DEM está dividido. Há uma ala podre, velha, ultrapassada, coordenada pelo JKB. Há uma ala mais jovem, com novas ideias e mais profissional, da qual faz parte o ex-secretário da fazenda, suplente de Senador, Gavazzoni. Colombo precisou das duas para se eleger, e agora não sabe o que fazer para uni-las. Quem vai pagar o pato dessa briga no DEM é o povo, óbvio. 


Nenhum comentário: