quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Alesc gasta mais de R$ 19 milhões com terceirizados

Presidente da Assembléia "esquece" acordo com Sindicato dos Servidores e lança edital para novas contratações de terceirizados
    Mesmo tendo firmado acordo com o Sindalesc para diminuir o número de contratação de funcionários terceirizados e realização de novo concurso público em 2012, o presidente da Alesc, Gerson Merísio, surpreende o Sindalesc com edital de licitação para novas contratações ainda em 2011. O Sindicato encaminhou ofício à Mesa solicitando a suspensão do processo licitatório e que a Alesc procedesse a chamada dos aprovados no concurso público realizado em 2009.

    O Sindalesc lançou nota pública demonstrando "sua indignação e repúdio pela contratação de empresas especializadas em prestação de serviços, ocorrida no dia 17 de novembro, ao valor de R$ 19.596.569,49 (dezenove milhões, quinhentos e noventa e seis mil, quinhentos e sessenta reais e quarenta e nove centavos), que acarretará no aumento do número de terceirizados e elevará os gastos do Poder Legislativo.
    A nova licitação, além de não diminuir o número já existente de trabalhadores terceirizados, vai na contramão de todo um trabalho desenvolvido pelo sindicato que está mobilizado na luta pela valorização do concurso público e defende que a administração proceda a chamada dos classificados no certame, considerando que os cargos e funções são compatíveis com o edital de licitação".

Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Alesc gasta mais de R$ 19 milhões com terceirizado...": Caro Canga,
A Alesc é uma "zona" neutra. Todo mundo come um pouquinho. Comem os 40 quando estão na China ou na Itoupava Norte. Comem os funcionários quando recebem sem tanto esforço. Comem os procuradores, assessores e diretores. Comem todos por todos os lados. Comem também os de fora, cobrando por dentro.

Abs, João Comedor. 

2 comentários:

Anônimo disse...

Além de tudo isso, tem a farra das diárias.Depois que o valor passou para 400 reais, tem funcionário fazendo qualquer coisa (qualquer coisa mesmo) pra ganhar alguma.

Anônimo disse...

nas Secretarias a situação não é diferente..na Administração mesmo tem setores com 9 funcionários sendo 8 comissionados... assim, os salários dos efetivos, que recebem 3 x menos, muitas vezes com 3 x mais de tempo de serviço, não podem receber aumento porque "a folha ta no limite"! Seria bom se o governador começasse a valorizar a PRATA DA CASA!