quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Floripa Instrumental

A energia da boa música na Freguesia do Ribeirão da Ilha

   Nos dias 13, 14 e 15 de novembro o Ribeirão da Ilha recebe mais uma edição do Floripa Instrumental, com nomes já consagrados da nossa música, como Thiago Espírito Santo, Silvia Goes, Fábio Peron, Nailor Proveta,  Alessandro Penezzi. Isso sem falar nos talentosos músicos locais Geraldo Vargas, Felipe Coelho, Rogério Piva, Carlos Ribeiro Junior, entre muitos outros. Como em anos anteriores, o Festival aposta em novos talentos e traz, no sábado, 14, o multi instrumentista Pedro Martins, jovem de 22 anos que foi o vencedor deste ano da competição de guitarras do Montreux Jazz Festival, carimbando seu passaporte para o Festival de 2016.

“É muito gratificante ter o trabalho reconhecido por gigantes como Kurt Rosenwinkel e John McLaughlin”, diz Pedro, que toca pela primeira vez em Florianópolis. Nascido em Gama (DF), Pedro Martins é um artista precoce. Aos 6 anos tirava músicas de ouvido no violão; aos 8 começou a aprender piano; aos 11 participava de uma banda de rock; aos 14 tocou pela primeira vez com Hamilton de Holanda e Ademir Junior, e aos 18 anos gravou seu primeiro disco, Sonhando Alto.

   Gratuito nos três dias, o Floripa Instrumental é patrocinado pela Tractebel Energia, via Lei Rouanet, e conta com o apoio da Eletrosul e do Restaurante Ostradamus.

Trios de Sexta - Na abertura do Floripa Instrumental, na sexta, dia 13, o show Alma de Músico, nome do quinto disco solo de Thiago Espírito Santo, que sobe ao palco da Freguesia do Ribeirão com Silvia Goes e Fábio Peron com uma sonoridade brasileira alegre e virtuosa. “Misturamos o moderno e o regional respeitando a autenticidade do modo de tocar de cada um”, avisa Thiago Espírito Santo, que traz o DNA do multi instrumentista Arismar Espírito Santo, assíduo do Festival, e da pianista Silvia Goes.

   Depois é a vez do violonista Felipe Coelho apresentar seu mais recente trabalho Hora Certa, o primeiro em trio, com Tiê Pereira (baixo) e Richard Montano (bateria). “É um show autoral e o primeiro com essa formação. Há tempos queria experimentar e arranjar para trio, já que é um formato consagrado. A ideia é gravar o álbum logo depois da apresentação”, afirma Felipe Coelho. Suas novas composições como O Monge, Batida Herança, Hora Certa e Moderninho tem a influência dos sons de várias partes do planeta. “Busco uma fusão da música brasileira com a do mundo e, neste trabalho, a inspiração veio dos músicos orientais Avishai Cohen e Tigran Hamasyan”, explica.

Banda da Lapa, Guitarra e Duo no Sábado -  No dia 14, às 21h, o jovem Pedro Martins vai apresentar seu novo trabalho solo interpretando composições autorais, entre outras músicas. É a prévia do que o guitarrista levará em julho de 2016 para o palco do Festival de Jazz de Montreaux. O segundo show da noite, programado para 23h, é com Rogério Piva (guitarra e bandolim) e Carlos Ribeiro Júnior (baixo e baixo acústico), o ConversanDuo. “A ideia é sintetizar a música no universo minimalista de seus instrumentos com composições próprias como Frio, Chuva e Parker de Bombachas”, ressalta Piva. Mas o repertório vai contemplar também a música latina – tango, folclore, milonga e bolero – sempre com uma linguagem jazzística, características dos dois músicos que já possuem um álbum gravado e estão concebendo mais um. No sábado à tarde, a partir das 16 horas é a dona da casa, a Banda da Lapa, com mais de 100 anos, que vai movimentar a Freguesia com seu repertório de música brasileira.

   Chorinho e chorões no Domingo -  Para encerrar o Floripa Instrumental, muito chorinho com o duo Nailor Proveta e Alessandro Penezzi, no trabalho Velha Amizade. Entre as composições estão Torcendo a meia (Alessandro Penezzi / Nailor Proveta), Jeringonça (Penezzi), Choro de Proveta (Penezzi)  e Choro pro Paulinho (Nailor Proveta). Neste dia, os chorões da Ilha, que são muitos e talentosos, prometem surpresas ao lado de Penezzi e Proveta.

   O bandolinista catarinense Geraldo Vargas se apresenta com o Grupo de Choro do Campeche, composto por alunos da Escola Livre de Música de Florianópolis, cujo repertório conta com maxixes, choros, samba-choro e valsas de grandes compositores.

   Jam Sessions Colaborativa - Para realizar as já tradicionais jam sessions depois dos shows, o Floripa Instrumental, que tem como princípio não cobrar ingressos, optou pelo colaborativo. Entre na Freguesia da boa música e colabore por meio da campanha  http://www.kickante.com.br/campan…/floripa-instrumental-2015 e desfrute do clima deste festival.

Dfato Comunicação - duda.hamilton@dfatocom.com.br

SERVIÇO

O QUE: Floripa Instrumental

QUANDO: 13, 14 e 15 de Novembro

ONDE: Freguesia do Ribeirão da Ilha, Florianópolis

HORÁRIO: Sexta a partir das 21 horas. Sábado e domingo a partir das 16horas

QUANTO: Gratuito para os shows principais colaboração para as Jam Sessions no http://www.kickante.com.br/campan…/floripa-instrumental-2015

PROGRAMAÇÃO

Dia 13, sexta-feira

21 horas – Show Alma de Músico com Thiago Espírto Santo (baixo), Silvia Goes (piano) e Fabio Peron (bandolim)

23 horas – Show Hora Certa – Felipe Coelho (violão), Tiê Pereira (baixo) e Richard Montano (bateria)

Depois Jam sessions

Dia 14 – Sábado

A partir das 16 horas – Banda da Lapa, do Ribeirão da Ilha, com 100 anos de história.

21 horas – Guitarrista Pedro Martins, vencedor da competição de guitarras do Festival de Jazz de Montreux

23 horas – Show com o Duo Rogério Piva (guitarra e bandolim) e Carlos Ribeiro Júnior (baixo e baixo acústico)

Depois Jam Sessions

Dia 15 - Domingo

A partir das 16 horas muito choro na Freguesia do Ribeirão da Ilha

Show Velha Amizade com o Duo Nailor Proveta (clarinete e sax) e Alessandro Penezzi (violão)

Geraldo Vargas (bandolim) e o Grupo de Choro Campeche, composto por alunos da Escola Livre de Música de Florianópolis.

Nenhum comentário: