terça-feira, 10 de abril de 2012

Intimação na Kibelândia

    Acabo de receber um oficial de justiça no "meu local de trabalho", a Kibelândia. Blogueiros eles encontram fácil.
    Quando se trata de políticos que metem a mão no baleiro os oficias de justiça tem alguma dificuldade para encontrar. Como foi o caso desta oficial de justiça que o juiz mandou intimar o Mescolotto em 48hs. Leia aqui.
    Interessante mesmo foi a anotação à mão que alguém fez na intimação para facilitar o trabalho do oficial de justiça:


JORGE LOEFFLER .'. deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Intimação na Kibelândia": Meu caro Rubim, observo que és "adorado" por ai tal como eu por aqui. Hahaha...
Já fui freguês de caderno de processos do prefeitinho, mas nenhum colou, pois não brinco com coisas sérias. Em minha coluna no www.litoralmania.com.br de Osório levo pau sempre. Sou adorado pelo DAER e a CORSAN, duas das coisas mais do que inúteis neste estado. Igualmente a polícia ostensiva ou de quarteirão que não mais faz sua obrigação me adora. Eles devem ter uns 3.000 em desvio de função e nunca dispõem de efetivo. Porém quando a Prefeitura da Capital ou os clubes de futebol precisam do nada surge efetivo suficiente. Ocorre que esses são bons "fregueses", pois compram a pagam pelos serviços.

2 comentários:

Anônimo disse...

Não de mole, continue denunciando!

JORGE LOEFFLER .'. disse...

Meu caro Rubim, observo que és "adorado" por ai tal como eu por aqui. Hahaha...
Já fui freguês de caderno de processos do prefeitinho, mas nenhum colou, pois não brinco com coisas sérias. Em minha coluna no www.litoralmania.com.br de Osório levo pau sempre. Sou adorado pelo DAER e a CORSAN, duas das coisas mais do que inúteis neste estado. Igualmente a polícia ostensiva ou de quarteirão que não mais faz sua obrigação me adora. Eles devem ter uns 3.000 em desvio de função e nunca dispõem de efetivo. Porém quando a Prefeitura da Capital ou os clubes de futebol precisam do nada surge efetivo suficiente. Ocorre que esses são bons "fregueses", pois compram a pagam pelos serviços.