sexta-feira, 13 de julho de 2012

Cântico da morte

  Do Noblat
Batalhão da Polícia do Exército vai apurar ‘cântico da morte’
   
    Juliana Dal Piva, O Globo
    O comandante do 1º Batalhão de Polícia do Exército, coronel Aroldo Cursino, vai abrir  sindicância para apurar o comportamento de  um grupo de militares durante uma corrida na  Rua Barão de Mesquita, no Rio.
    De acordo com informações divulgadas nesta quinta-feira por Ilimar Franco, no Panorama Político do GLOBO, soldados do quartel, onde funcionou o DOI-Codi na ditadura militar, correram na quarta-feira pela manhã na Rua Barão de Mesquita, na Tijuca, cantando: “Bate, espanca , quebra os ossos. Bate até morrer”. O instrutor então perguntava: “E a cabeça?”. Os soldados respondiam: “Arranca a cabeça e joga no mar”. No final o instrutor perguntava: “E quem faz isso?”. E os soldados respondiam: “É o Esquadrão Caveira!”.

Nenhum comentário: