segunda-feira, 16 de julho de 2012

Pacto por Santa Catarina

Geraldo Freeze Frost*
correspondente do Cangablog no Planalto Catarinense.

    O governador Raimundo Colombo foi taxativo neste final de semana aqui em Lages. Disse que não se pode gastar mais do que se arrecada. Disse que refletiu muito, mais de 18 meses, e chegou a esta conclusão. A despesa não pode superar a receita. Em sua eloquente mensagem aos membros do colegiado, a quem prestou contas sobre as contas prestadas, disse: Se Pitágoras estava certo, por que nós não podemos? Se a soma do quadrado dos catetos é igual ao quadrado da hipotenusa, então a soma do quadrado dos gastos públicos é igual ao quadrado da verba publicitária, verbalizou. A platéia, praticamente congelada, reagiu com apupos e palmas.
    O secretário responsável pelo novo controle de gastos, interveio prontamente: Estamos implantando uma nova filosofia de controle do dinheiro público. Então explicou didaticamente:
    Se tu vais num cassino e aposta 100, é necessário ganhar 500 para fazer mais cinco apostas de 100. Se não ganhar nada, não dá para apostar mais...
    Foram distribuídas 100 calculadoras digitais, uma para cada secretário ou assessor.      Nenhuma delas faz operações superiores a R$ 12 milhões. 
    Assim, o governo ficará contingenciado a uma despesa máxima total de R$ 1,2 bilhões de reais mensais.
*Geraldo Freeze Frost é nascido em Lages, estudou na Universidad de Assunción no Paraguay e foi amigo do ex-presidente Fernando Lugo. Fez pós graduação em Buenos Aires no El Clarín. Tem 17 filhos, atualmente. É especialista em matérias frias.

2 comentários:

Comportamento Organizacional disse...

18 meses?.....the flash.....!

Roberto Scalabrin disse...

Não por acaso o Pacto por Santa Catarina é lançado agora, poucos meses antes das eleições e 18 meses após o início do Governo. Que coincidência! Não por acaso deverá ser iniciada uma fantástica campanha publicitária. Não por acaso na propaganda política que logo se iniciará o Pacto por Santa Catarina ocupará um importante espaço. Não por acaso passada as eleições nada terá acontecido. Não por acaso as velhas raposas serão resuscitadas, as vezes na pele de seus filhos, parceiros políticos, sócios.... Mais um espetáculo de pirotecnia eleitoral lançado com muita pompa. Que barbaridade!?