domingo, 30 de outubro de 2011

Surgem as digitais de Júlio Garcia nos escândalos da SEA

    Nome do conselheiro do Tribiunal de Contas de SC é citado aos quatro ventos na cidade. Os leitores do Cangablog estão cada vez mais afinados. Pessoas que falam com conhecimento de causas estão tocando "de ouvido" com o blog. É o famos entrosamento "sintonia fina".

    O Cangablog hoje, não se resume apenas ao jornalista Sérgio Rubim, mas a uma associação de pessoas interessadas em mostrar, à população, a podridão existente nos porões dos órgão públicos e, principalmente, identificar os donos dos tentáculos que penetram nos cofres públicos para saquear o dinheiro de cidadãos honestos e pagadores de impostos.

    Nesta trama que envolve dois casos escandalosos de corrupção na Secretaria de Administração (DOE e contrato da Saúde) começa aparecer as digitais do conselheiro do Tribunal de Contas, Júlio Garcia, como um dos grandes manipuladores de gente colocada estratégicamente em setores chaves da administração estadual.

    Após as denúncias sobre negócios do secretário Milton Martini, na Secretaria da Administração, o nome de Júlio Garcia não parou mais de ser citado, na rua, por telefone, e-mail ou comentário no blog, Júlio Garcia é o nome do momento. Voz corrente nos meios adminitrativos, políticos e da mídia, o poder do Conselheiro Garcia se ramifica pela Administração, passa pelo setor de informática da Alesc, Celesc e no próprio Tribunal de Contas. 

    Abaixo comentários dos novos "sócios" do cangablog: 

    Pior do que a contratação do Diário Oficial Eletrônico foi a contratação do Consórcio Santa Catarina que irá administrar a gestão do plano dos servidores estaduais, uma vez que o Diário Eletronico custará na sua totalidade R$ 1.900.000 mil e o consórcio receberá mensalmente a bagatela R$ 3.800 milhões por no mínimo 5 anos rejustados.


    Perguntas para serem respondidas pela dona Irene dona do consórcio, ex secretaria de Dalmo Oliveira, Sec. adj. Nelson Nappi (coordenador da contratação) e pelo Sec. Milton Martini:

 
1. Quem elaborou o termo de referencia para a contratação do consórcio se não houve a participação dos técnicos da casa?
2. Quem elaborou o questionário de avaliação utilizado no processo licitatório utilizado para análise das amostras e que eliminou os demais concorrentes do certame, se não teve a participação dos técnicos da casa?
3. Por que em Santa Catarina vai se pagar para a prestadora de servico de gestão do plano R$ 22,00 por pessoa, se em outros estados como Mato Grosso o valor pago é a metade, para administrar uma carteira 3 vezes menor, matéria disponível na internet. Será que isso não caracteriza superfaturamento?
Quanto a nota de apoio ao Srs. Martini/Nappi não foi só o presidente da associação o beneficiado com transposição de cargo da educação para a administração. Sua esposa também foi beneficiada com a gratificação da SEA.

 
    Sobre a cartinha de solidariedade ao Secretário Martini:

    Vou relembrar ou refrescar a memoria para que todos saibam:

    O presidente Manoel Martins de Medeiro, vulgo MANECA, da Associação dos Servidores da SEA que assumiu recentemente este “posto”, é nada mais  nada menos que afiliado politico do Conselheiro do Tribunal de Contas Júlio Garcia. Pois bem, vamos por partes:

1- Ele era servidor da EDUCAÇÂO e foi efetivado na SEA (Secretaria Estadual de Administração) onde os salários e as gratificações são maiores.

2- O Diretor Adjunto da SEA, NELSON NAPPI, além de afiliado politico é também
afiliado de batismo do Conselheiro Júlio Garcia.

3- A Secretária de Gabinete do Martini e do NELSON NAPPI é a Lúcia Garcia
(irmã do Conselheiro Júlio Garcia).

4- Esta associação não representa nem 1/3 dos servidores da SEA, mas tem
um status “pomboso” para ser servir de laranja, como é o exemplo
desta nota de solidariedade publicada de apoio ao MARTINI, uma nota “plantada”.

5- O MANECA ter assinado esta nota de “APOIO” nada mais é do que a cobrança pelo favor de ter sido efetivado na SEA, afinal nada é de graça. Ou estes caras acham que todos nós, os servidores e homens de bem, somos idiotas ou eles realmente se acham acima da lei… é uma vergonha ver publicado este tipo de nota em um jornal tão sério como o DC e nos principais blogs de comentaristas sérios de Santa Catarina.
Claudinei Bortoncelo



Três presidentes de TCEs deixaram seus cargos; em sete Estados, chefes dos órgãos são alvos de questionamentos. Para cientista político, conselheiros escolhidos pelo Legislativo têm dificuldade de julgar as contas de forma isenta

Felipe Bächtold e Cíntia Acayaba, Folha de S. Paulo

    Reduto de ex-políticos semiaposentados, Tribunais de Contas dos Estados são presididos por suspeitos envolvidos em operações da Polícia Federal e réus em processos que tramitam na Justiça.
    Três presidentes desses órgãos de fiscalização tiveram que deixar seus cargos nos últimos meses por suspeitas de irregularidades. Em ao menos sete Estados, o atual comando do órgão também é alvo de questionamentos.
    A Procuradoria-Geral da República assinou há duas semanas o pedido de afastamento do presidente do TCE do Rio de Janeiro, Jonas Lopes de Carvalho, ao denunciá-lo por suspeita de envolvimento em irregularidades apuradas na Operação Pasárgada, da Polícia Federal.
    Dezesseis prefeitos foram presos na ação, de 2008, que apurava facilitação de benefícios a municípios. Leia tudo. Beba na fonte.

    Comentário profundo (e pertinente):
    Embora a norma penal pretenda dissuadir comportamentos ilícitos, de certa forma acaba estimulando a prática dos mesmos. Vejamos o porquê: quando o indivíduo que pretende praticar um crime se dá conta de que a atuação do sistema penal recai sobre a excepcionalidade dos casos, e que sua atuação é extremamente seletiva, e que essa seleção se faz por meio dos estereótipos das pessoas que caem nas malhas das agências repressivas, em vez de ser inibido a praticar o delito, apenas desenvolve uma melhor forma de praticar tal conduta (emprega tecnologia em sua atividade).
    É dizer, sabedor de que o sistema penal procura pessoas com determinadas características (o pobre, o negro, o vagabundo, o bêbado...), o agente se “transforma” em uma pessoa que não faz parte desse grupo procurado pelo sistema penal: em vez de andar mal vestido (de bermuda e chinelo), como é a característica das pessoas de seu grupo social, que são o público alvo da repressão estatal, vai praticar um crime patrimonial qualquer “disfarçado” de componente do grupo social não procurado pelo sistema de justiça criminal (em vez de ir praticar um crime patrimonial, apresentando os estereótipos dos componentes de seu grupo social, veste um terno e uma gravata, e se apresenta como membro do grupo social que não pratica esse tipo de crime).
De: FINALIDADES E FUNDAMENTOS DO DIREITO DE PUNIR: DO DISCURSO JURÍDICO À CRÍTICA CRIMINOLÓGICA

 L.A deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Surgem as digitais de Júlio Garcia nos escândalos ...": Não é o Júlio Garcia que quer ser o Presidente do Tribunal de "Faz de Contas"? Não era melhor colocar o "Jorge Bornhausen" como Presidente?
Até quando mandarão no Estado?


Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Surgem as digitais de Júlio Garcia nos escândalos ...": JÚLIO GARCIA NÃO DEVERIA TER SE DADO COMO IMPEDIDO NO PROCESSO?
    POR QUE FEZ VOTO DIVERGENTE NO PLENÁRIO PARA LIBERAR A CONTRATAÇÃO DO DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO ELETRÔNICO?
    COM TUDO ISSO APRESENTADO PODE ESTAR AÍ A EXPLICAÇÃO.

AQUELE É UM TRIBUNAL DE "FAZ DE CONTAS" MESMO.

    POR QUE OS CONSELHEIROS ACOMPANHARAM O JÚLIO GARCIA E LIBERAM A COISA APOIANDO O VOTO DIVERGENTE?

3 comentários:

Anônimo disse...

Não é o Júlio Garcia que quer ser o Presidente do Tribunal de "Faz de Contas"?

Não era melhor colocar o "Jorge Bornhausen" como Presidente?

Até quando mandarão no Estado?

Anônimo disse...

JÚLIO GARCIA NÃO DEVERIA TER SE DADO COMO IMPEDIDO NO PROCESSO?

POR QUE FEZ VOTO DIVERGENTE NO PLENÁRIO PARA LIBERAR A CONTRATAÇÃO DO DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO ELETRÔNICO?

COM TUDO ISSO APRESENTADO PODE ESTAR AÍ A EXPLICAÇÃO.

AQUELE É UM TRIBUNAL DE "FAZ DE CONTAS" MESMO.

POR QUE OS CONSELHEIROS ACOMPANHARAM O JÚLIO GARCIA E LIBERAM A COISA APOIANDO O VOTO DIVERGENTE?

Anônimo disse...

A ultima bomba no Caso da Licitação da Imprensa Oficial: Sexta Feira a Diretora da Imorensa Maria Terezinha Debatin foi chamada para uma reunião na SEA por Martini e pelo NAPPI, saiu da reunião, voltou a Imprensa reuniu-se com todos os servidores e falou que acabava de pedir que fosse exonerada pois nao iria de forma alguma compactuar com as falcatruas do Sr. NAPPI. Para quem conhece a Diretora, que êh uma mulher de princípios e que nao manda dizer, ela diz mesmo...aguardem os próximos capítulos desta historia, ela nao ficara de boca fechada...